nsc
    nsc

    Trocas

    Em 11 dias, governo Moisés exonerou 720 comissionados e nomeou 375

    Compartilhe

    Ânderson
    Por Ânderson Silva
    14/01/2019 - 05h25 - Atualizada em: 14/01/2019 - 11h02
    Moisés durante a diplomação dos eleitos(Foto: Diorgenes Pandini / DC)
    Moisés durante a diplomação dos eleitos(Foto: Diorgenes Pandini / DC)

    Até a última sexta-feira, o governador Carlos Moisés da Silva (PSL) fez 720 exonerações. Em contrapartida, nomeou 375 novos cargos de confiança para ocupar parte das funções. No saldo geral, até o momento, são 345 postos cortados. A promessa do governo é eliminar 922 comissionados e funções gratificadas nos primeiros 90 dias de trabalho.

    Nesta semana, os cortes vão continuar. Segundo Douglas Borba, secretário da Casa Civil, vão começar a ser feitas as exonerações na saúde e educação, onde há grande volume de servidores comissionados. Para as contratações, explica Borba, está sendo adotado o critério técnico, sem que o posicionamento ideológico seja deixado de lado. Depois das polêmicas exonerações de pessoas que haviam sido escolhidas pelo currículo qualificado, mas foram demitidas por pressão de aliados do PSL pelo apoio de ambos a opositores na última eleição, a avaliação do governo é de que entre um profissional com posicionamento da direita e um contrário, será priorizado o primeiro por conta das diretrizes do partido.

    Para substituir Tiago Savi, que havia sido nomeado pela Santur e pediu afastamento antes mesmo de assumir por ter sido contra Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições, dois nomes estão sendo avaliados. Nesta semana deve ser confirmado o novo presidente da empresa de turismo. Já a coordenadoria de Igualdade Racial, ocupada cinco dias por Edenice Fraga, tem futuro incerto. A secretária de Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST) apresentará uma proposta de reformulação da pasta a pedido do governo dentro da linha colocada em prática no nível nacional. As mudanças estarão dentro da reforma administrativa a ser enviada por Moisés para a Alesc.

    Plano B

    Moisés prometeu não nomear deputados para seu governo. Cumpriu. Mas não falou nada sobre os suplentes, que ocupariam vagas na Alesc e na Câmara dos Deputados em caso de os eleitos serem chamados. Por isso, Rudinei Floriano, primeiro suplente do PSL na Assembleia foi nomeado para o Imetro. Ele é subtenente da PM. Na Fesporte, Rui Godinho assumiu a presidência. O policial civil é o primeiro suplente do PSL na Câmara.

    Escolhido

    O coronel Carlos Alberto Fritz Bueno, comandante da 7ª Região da PM, em Blumenau, vai assumir o posto número 3 da corporação. Ele assume o Estado-Maior amanhã, às 17h. O coronel Giovani Cardoso Pacheco deixa a função para criar os indicadores de desempenho no governo do Estado.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas