publicidade

Navegue por
Augusto

Catarinense 2019

Busca por reforços, preocupação na defesa, time-base: como está o Metrô a cinco dias da estreia

Compartilhe

Por Augusto Ittner
12/01/2019 - 10h31 - Atualizada em: 12/01/2019 - 10h31
Foto: Leo Laps, Especial

Conversando com o diretor de futebol do Metropolitano, Ericsson Luef, e com o técnico Marcelo Mabília, fica clara a preocupação que ambos têm com a defesa do Metropolitano, principalmente na zaga. Claro que essa aflição é até um pouco velada, mas a lesão de Romário Leiria, que veio para ser titular ao lado de Café, trouxe essa pulga para trás da orelha dos dirigentes e da comissão técnica.

Sem ele, o técnico teve de escalar Clau – jogador revelado nas categorias de base – na dupla de zagueiros nos últimos jogos-treinos. Claro que há confiança no jovem atleta, até porque Clau vem sendo lapidado há alguns anos, mas ao mesmo tempo existe um certo receio em colocá-lo no fogo em jogos maiores do Estadual – só para lembrar o Verdão de Blumenau estreia contra o Avaí na Ressacada e, na sequência, encara a Chapecoense no Estádio do Sesi.

Isso porque o Metropolitano já cometeu esse erro com outras promessas e não pode correr esse risco com Clau, que tem potencial. Colocá-lo gradativamente em campo, na reta final de jogos e como substituto de titulares é uma boa opção para não “queimar” o jogador, como se diz no futebol.

Os desejos de Mabília

À coluna, Luef confirmou que o clube vai contratar pelo menos mais dois zagueiros. Já Mabília, diz que pediu um camisa 9 de referência, além de um camisa 10 com mais bagagem. Quatro jogadores que, se vierem, encerram momentaneamente o ciclo de contratações do clube para o Estadual.

Laterais garantidas

A sequência de bons desempenhos do lateral-direito Paulinho vem agradando a comissão técnica do Metropolitano. Disparado o melhor da posição na Série B do Catarinense em 2018, ele vem honrando o trabalho que deu para mantê-lo em Blumenau. Resta saber se no lado oposto ao dele Jefinho conseguirá fazer o mesmo. O jogador que veio do interior de São Paulo vai substituir Rodolfo, que teve uma Segundona muito regular e que cresceu muito profissionalmente. Emprestado ao futebol japonês, ele deixou essa brecha que precisa ser preenchida por Jefinho.

Do volante ao atacante

Nas demais posições é possível perceber certo conforto por parte de Mabília. Do meio para frente, pelo menos no papel e no que os jogadores vêm desempenhando nos jogos-treinos, o Metropolitano está bem servido – dentro das suas limitações financeiras, claro. Entre os volantes, o treinador tem a opção de escolher entre Leandro Melo, Negueba e Michel Schmöller. No meio-campo, com a lesão de Ângelo, a opção é por Netinho. Na frente, Ari Moura (foto), Bruninho, Weslley e Trípodi disputam duas (ou até três) vagas no time titular.

Time hoje

Se o campeonato começasse nesse fim de semana, apostaria que o time titular do Metropolitano seria com Igor Koehler; Paulinho, Café, Clau e Jefinho; Leandro Melo, Michel Schmöller, Netinho e Ari Moura; Bruninho e Trípodi. Weslley corre por fora pela posição do argentino, assim como Negueba tenta ganhar uma vaga no meio-campo – isso se Mabília não optar por jogar com três volantes, dando um pouco mais liberdade para Schmöller sair para o jogo. Vale lembrar que no sábado, às 16h, o Verdão enfrenta o Athlético-PR em Curitiba, na Arena da Baixada, com portões fechados. Vai ser o último jogo-treino antes da estreia e o decisivo para definir a formação titular para a estreia.

Deixe seu comentário:

Augusto Ittner

Augusto Ittner

Augusto Ittner

Opinião, análise e memória. Direto ao ponto, aborda o cenário esportivo do Vale do Itajaí. Com destaque para Metropolitano e BEC, traz de maneira exclusiva os bastidores do futebol em Blumenau e região.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação