publicidade

Cacau

Política

A tática de Bolsonaro ao nomear o filho para embaixada

Compartilhe

Por Cacau Menezes
15/07/2019 - 04h30 - Atualizada em: 15/07/2019 - 04h30
(Foto: Marcos Corrêa / Presidência da República/Divulgação)

Critica-se Jair Bolsonaro por pretender nomear seu filho Eduardo embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Diga-se que o presidente não está arranjando emprego para o filho, pois Eduardo é deputado federal. Se nomeá-lo embaixador, Bolsonaro, nomeará alguém que possui experiência política, que domina a língua inglesa e que é amigo dos filhos do presidente dos Estados Unidos, país com quem o governo busca parceria comercial.

Se nomeá-lo, estará tranquilizando todos aqueles que temem que a presença dos filhos de nosso presidente possam comprometer o governo. Finalmente, se nomeá-lo, Bolsonaro seguirá o exemplo de Fernando Henrique Cardoso, que nomeou seu antecessor, Itamar Franco, embaixador do Brasil em Roma. Assim agindo, FHC despachou Itamar, que havia feito um excelente governo e que lhe poderia fazer sombra. Embora os motivos de FHC não fossem nada nobres, ao contrário dos de Bolsonaro, a medida atingiu seus objetivos.

Aquela sessão

Câmara de Vereadores de Floripa humilhou a Câmara Federal em matéria de rapidez em aprovar um projeto. No dia 10 de julho corrente, o projeto do vale-alimentação para os vereadores, no valor de R$ 1 mil mensais, deu entrada na Câmara, passou por todas as comissões e foi a plenário, onde, em dez segundos, foi aprovado. Tudo no mesmo dia. Enquanto isso, a Câmara Federal está levando meses para aprovar o projeto da Reforma da Previdência. Mas fica aqui uma pergunta: se há vale-alimentação, vale-transporte, auxílio-farmácia, auxílio-moradia, para que serve o salário? 

A propósito, como Cacau publicou sexta-feira no NSC Total, a repercussão foi tão negativa que nesta segunda-feira (15) tem sessão extraordinária na Câmara Municipal para revogar os benefícios.

Tradição

Ministro Jorge Mussi há vários anos, no mês de julho, participa da Associação de Estudos Europeus na Universidade Coimbra, em Portugal. No evento deste ano o catarinense palestrou sobre Criminalidade Transnacional como lavagem de dinheiro, clonagem de cartões de crédito e o tráfico de estupefacientes, cuja rota passa pelo Brasil.

Há 40 anos

Ano de 1979 foi marcante na minha vida e da cidade. No dia 5 de maio entrou no ar a TV Catarinense, primeira emissora de televisão do Grupo RBS em Santa Catarina e no dia 5 de novembro do mesmo ano estreamos o Jornal do Almoço e, como sabem, daquela turma só eu fiquei para contar essas histórias. No mesmo ano o Avaí disputou pela primeira vez o Campeonato Brasileiro. Apesar de ter, pelo menos pra mim, o melhor time da sua história, num campeonato que tinha 94 clubes, o Avaí foi rebaixado. E sem nenhuma vitória. O Inter de Porto Alegre foi o campeão e invicto. Então pensem na minha situação: os gaúchos chegando com o Inter campeão invicto e nós com o Avaí rebaixado e sem uma única vitória.

Devo ter ficado uns quatro anos sem falar de futebol na empresa. Espero que 2019, quarenta anos depois, esse triste fato não se repetida. Porque, até agora o nosso Avaí é o único que ainda não venceu, segurando a lanterna.

Golpe velho

Leitor Edson Goeldner lembra que já nos velhos tempos em que os bichos falavam, se comprava camarão em Laguna, nas margens da pista simples da BR-101, lá nas cercanias da ponte da Cabeçuda, mas em casa, só se alguns graúdos que estavam por cima, na balança apresentada. Pra baixo era só gelo e camarão miúdo.

Portanto, o golpe do pinhão publicado nesta coluna do final de semana não é novo.

Erudito

“Uma pessoa conhecida. Nossos sentimentos à família, tá ok?”

Comentário do presidente Jair Bolsonaro sobre a morte de João Gilberto, o pai da bossa-nova, para o advogado Francisco Ferreira, aqui de Floripa, foi erudito e emocionante. Também achei. 

Coqueiros

Noite de quinta-feira, como fazemos sempre que a agenda nos permite, levei o amigo Pedro Sirotsky, que está de volta à Ilha para acompanhar a chegada do neto Davi, filho da Juana e do Diogo, que nasceu neste domingo (14), para comer a paleta de ovelha da Riosulense que ele gosta tanto, e antes, passamos por Coqueiros, onde mostrei a rota gastronômica do bairro. Viajado como poucos, Pedro não teve dúvidas: “aqui está o futuro da cidade”.

O que falta agora é o turista conhecer Coqueiros, a cinco minutos do centro, e alguém construir um hostel urban, nova forma de hospedagem, barata e compartilhada, como está na moda na Europa. 

Simples

Quem votou a favor dos privilégios na Câmara Municipal de Floripa, expressa ou tacitamente, é responsável. Quem não sabia o que estava votando ou acontecendo, é irresponsável e negligente. E quem diz que não sabia o que estava por acontecer deve satisfação aos eleitores acerca do que faz na Câmara... E quem disse que votou contra sem ter as provas, que seja cassado, porque mentir é gravíssimo.

Falta de energia

A família de uma moça que teve sua festa de debutante prejudicada pela falta de energia elétrica será indenizada em R$ 21 mil, segundo decisão da juíza Alessandra Mayra da Silva de Oliveira, titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Camboriú. Os advogados alegaram que a festa, realizada em dezembro de 2016, foi organizada com um ano de antecedência e que tudo estava pronto para o debute: cabine de fotos, cascata de chocolate e o conjunto musical, mas tudo foi interrompido pela queda de luz, que durou mais de três horas. A indenização terá que ser paga pela Celesc.

Ballet Russo

Pela primeira vez no Brasil, o Joias do Balé Russo - Gala Ballet International, com a presença confirmada do 1° Bailarino do Bolshoi Alexander Volchkov e que une todas as correntes históricas e técnicas em um espetáculo único, fará turnê pelas principais cidades do Brasil, presenteando o público com a oportunidade de ver o trabalho de estrelas de danças das escolas mais importantes do mundo juntos, em uma festa de gala inédita no país. Em Floripa a apresentação acontecerá no dia 13 de agosto no Teatro Ademir Rosa (CIC).

Rússia

As curiosidades de um país com cultura e costumes distintos como a Rússia compõem o caderno de anotações visuais do fotojornalista Diorgenes Pandini, do Diário Catarinense, que a partir do próximo dia 25 na Fundação Cultural Badesc, em Floripa, vai apresentar uma exposição fotográfica com tudo o que clicou de diferente e interessante durante a Copa do Mundo do ano passado na Rússia. Pandini fez parte da equipe da NSC na Copa e certamente vai ter muita coisa boa para mostrar.

Susto

Max Gonçalves, que passou por maus momentos em Barcelona, onde pegou infecção hospitalar, deu a volta por cima e já está em Portugal, onde mora atualmente, curtindo a vida numa boa, como sempre.

Figueira

Goleada de 4 x 0 do Figueira em Belo Horizonte sexta-

feira no América trouxe de volta a alegria de seus torcedores pelas redes sociais. Quem sabe agora arranca de vez rumo à Série A, porque Floripa não pode ficar sem representante na elite do futebol brasileiro ano que vem.

Almoço

Artilheiro do Beijo Juninho Pacheco foi o convidado do Almoço de domingo na família Amin, no Bom Abrigo.

Deixe seu comentário:

Cacau Menezes

Cacau Menezes

Cacau Menezes

A cara, o jeito e o sotaque de Floripa. O colunista da cidade, das pessoas que são destaque, dos bastidores decisivos e dos acontecimentos mais importantes.

cacau.menezes@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade