nsc
nsc

Desfralde

Meu filho faz xixi na cama, e agora?

Compartilhe

Carol
Por Carol Bandeira
29/03/2021 - 06h00 - Atualizada em: 29/03/2021 - 06h13
Confira dicas de medidas comportamentais que ajudam no xixi na cama.
Confira dicas de medidas comportamentais que ajudam no xixi na cama. (Foto: Pexels, banco de imagens)

O desfralde é um momento de muitas dúvidas e, infelizmente, de muito desespero dos pais não é mesmo? Pensando nisso convidei a médica nefrologista pediátrica Sabrina Aroucha para falar sobre esse assunto tão importante .

Uma dúvida bem comum é: “O desfralde do dia e da noite devem acontecer juntos? E a resposta é não! O desfralde do dia e da noite podem acontecer em momentos diferentes. Porém, em alguns casos, o desfralde da noite não acontece. A criança cresce e não consegue sair da fralda noturna ou tem um desfralde da noite tranquilo e volta a ter escapes de xixi durante o sono. Nesse texto, venho explicar um pouco sobre o xixi na cama e dar algumas dicas também, explica a especialista.

O nome técnico para o xixi na cama é enurese, que tem forte influência genética. Ou seja, filhos de pais que tiveram enurese têm uma chance de escape de xixi durante o sono maior do que as demais crianças.

A enurese pode acontecer de duas formas. Crianças com mais de 5 anos que não desfraldaram da noite ou as crianças com menos de 5 anos que ficaram "secas'' por mais de 6 meses e voltaram a ter escape de xixi por mais de 1 vez ao mês por 3 meses consecutivos. Além disso, a enurese pode ser o único sintoma da criança ou ser acompanhada de outros sintomas urinários que podem sinalizar um possível problema no funcionamento da bexiga.

> Constipação na gestação: alimentação saudável e consumo de água podem auxiliar na melhora do quadro

Quais os sintomas que você deve ficar de olho no seu filho:

- Escapes de urina durante o dia (calcinha ou cueca, sempre com pingos de xixi ou escape de xixi pela roupa toda);

- Constipação (fezes em bolinhas, dificuldade para evacuar, intestino preso);

- Assaduras frequentes

- Aumento da frequência urinária (mais de 8 vezes no dia)

- Redução da frequência urinária ( menos de 4 vezes no dia)

- Dor na região genital com frequência

- Jato de urina fraco ou explosivo

- Jato de urina cortado (faz xixi aos poucos, não é contínuo)

- Faz força para urinar

- Vários episódios de infecção de urinária

> Disruptores endócrinos: você pode estar intoxicando sua família sem saber

O que muitos pais não sabem, é que o xixi na cama tem tratamento. Já atendi no consultório adolescentes de 11, 12 anos com enurese. A maioria deles tem autoestima abalada, timidez excessiva, deixaram de viver momentos com os amigos e familiares com vergonha dos escapes de urina a noite.

O tratamento é personalizado de acordo com o caso da criança. Logo, os tipos de tratamento que irei listar depende de vários fatores. São eles: medidas comportamentais, fisioterapia pélvica urológica, alarme e medicamentos.

> Chocolate pode prevenir doenças cardiovasculares e ósseas, além de reduzir estresse

Dicas de medidas comportamentais que ajudam no xixi na cama:

- Água - a criança se manter bem hidratada durante o dia. Para que não necessite tomar líquidos demais a noite.

- Reduzir ingesta de líquidos antes de dormir - se a criança ficou bem hidratada durante o dia, será mais fácil reduzir os líquidos a noite. O ideal é em torno de 2 a 3 horas antes de dormir.

- Evitar alimentos que irritam a bexiga - alimentos picantes ou alimentos diuréticos devem ser evitados à noite, como refrigerante a base de cola, chá preto, café, chimarrão, pimenta.

- Melhorar a constipação - há uma relação direta entre a bexiga (órgão que armazena o xixi) e o reto (órgão que armazena o cocô). Logo, crianças que são constipadas, tendem a ter mais escape de urina. Cuidar da alimentação com ingestão adequada de fibras e água é fundamental para que a criança não seja constipada. Em alguns casos, é necessário ajuda de um profissional de saúde para melhorar o quadro.

Espero ter ajudado e esclarecido um pouco sobre o xixi na cama. 

> 10 aplicativos para cuidar da saúde física e mental

Carol Bandeira

Colunista

Carol Bandeira

Mãe de 3, especialista e uma das referências no país em nutrição materno-infantil. É empreendedora, docente e pesquisadora. Ajuda pais e nutricionistas a nutrir com amor as futuras gerações.

siga Carol Bandeira

Carol Bandeira

Colunista

Carol Bandeira

Mãe de 3, especialista e uma das referências no país em nutrição materno-infantil. É empreendedora, docente e pesquisadora. Ajuda pais e nutricionistas a nutrir com amor as futuras gerações.

siga Carol Bandeira

Mais colunistas

    Mais colunistas