nsc
    nsc

    Análise política

    Fôlego curto para a Educação

    Compartilhe

    Carolina
    Por Carolina Bahia
    01/10/2019 - 05h00
    Ministro Abraham Weintraub anunciou desbloqueio de parte da verba que havia sido contingenciada em abril (Foto: Luciano Freire/MEC / Divulgação)

    O desbloqueio de recursos do orçamento para universidades e institutos federais representam um fôlego, mas não resolvem o problema das instituições de ensino. As universidades brasileiras estão com contas básicas em atraso, como energia elétrica e pagamento de fornecedores.

    Com essa liberação terão condições de cobrir o custeio até o final de outubro. O congelamento de recursos federais para o setor não é exclusividade deste governo. Por uma questão orçamentária, a verba é contingenciada no primeiro semestre, mas liberada de acordo com o desempenho da arrecadação. Mas o Planalto abriu uma crise com os reitores quando o atual ministro, Abraham Weintraub, afirmou, em abril, que iria cortar recursos de universidades que não apresentassem desempenho acadêmico esperado e que estivessem promovendo “balbúrdia”. Um mal-estar desnecessário.

    De lá para cá, a relação do ministro com as federais não melhorou e os reitores continuam reclamando de falta de diálogo. A essa altura, se o orçamento total for repassado até o final do ano, já é lucro. Em seis meses à frente do MEC, Weintraub se notabilizou pelas gracinhas nas redes sociais, mas ainda não apresentou ações concretas para melhorar o desempenho da educação no país.

    Na disputa

    Favorito para ser o novo presidente nacional do MDB, o deputado Baleia Rossi (SP) convidou o deputado catarinense Carlos Chiodini para integrar a chapa como candidato a segundo vice-presidente do partido. A eleição será no próximo domingo, quando ocorre a convenção do MDB, em Brasília.  

    O possível

    Aliados, amigos e colegas de partido, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, trabalham afinados para que o texto original da Reforma da Previdência seja aprovado nesta terça (1º), em primeiro turno. Já a PEC paralela, com Estados e municípios, vai ficar só na promessa.

    Smart City

    O secretário de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Danilo Conti, é um dos palestrantes de encontro desta terça (1º), em Brasília, do grupo de estudos sobre Cidades Inteligentes da Câmara. Conti vai apresentar soluções implementadas para a mobilidade urbana no município com o uso intensivo de tecnologias. Com 600 mil habitantes e 410 mil veículos, Joinville conta com grande acervo de dados do trânsito para embasar mudanças viárias.

    Smart City 2

    Joinville é um dos exemplos de sucesso do Waze for Cities com o Google Clouds, aplicativo que auxilia o planejamento de centros urbanos. Para se ter uma ideia dos benefícios, o app identificou problemas no trânsito em um entroncamento da cidade e a prefeitura implantou mudanças na quadra.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas