Navegue por

publicidade

Carolina

Aceitou a indicação

Ministra é solução para Bolsonaro

Compartilhe

Por Carolina Bahia
08/11/2018 - 03h00 - Atualizada em: 08/11/2018 - 03h00
Futura ministra
(Foto: )

A confirmação do nome da deputada Tereza Cristina (DEM-MS) para o Ministério da Agricultura é uma solução para pelo menos três problemas do presidente eleito Jair Bolsonaro. Ao aceitar a indicação da bancada ruralista, ele acalma os ânimos do Congresso e fortalece os laços com os parlamentares do setor, que integram um dos grupos mais importantes da Câmara.

Além disso, acaba com uma guerra pela pasta, que alimentou um mal-estar entre o presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Nabhan Garcia, e o ministro extraordinário, Onyx Lorenzoni. E para completar assegura a presença de uma mulher na equipe de Bolsonaro que, durante a campanha, precisou responder várias vezes sobre declarações polêmicas a respeito da igualdade salarial entre homens e mulheres.

Deputada do MS será ministra da Agricultura no governo Bolsonaro

Tereza não é uma grife do agronegócio, mas entende do setor - é uma grande produtora de soja em Mato Grosso do Sul - e tem o plenário na palma da mão. Ela trocou o PSB pelo DEM e começou o primeiro turno das eleições apoiando a candidatura do tucano Geraldo Alckmin (PSDB).

Senado aprova reajuste de 16,38% a ministros do STF

Diante da pressão da bancada, perto da eleição, ela levou a Bolsonaro um documento de apoio da Frente Parlamentar da Agricultura e mergulhou na campanha do capitão no segundo turno. Com essa nomeação, o presidente eleito reforça a mudança de lógica da negociação com o Congresso, não mais valorizando líderes de partidos, mas a força das bancadas temáticas.   

Orçamento

O Fórum Parlamentar Catarinense definiu 15 emendas para o Orçamento de 2019. Quatro emendas impositivas, que tem execução obrigatória, foram destinadas para a área da saúde no valor de R$ 147 milhões, para a troca de veículos escolares num total de R$ 19 milhões e outros R$ 3 milhões para a segurança pública. As outras emendas foram destinadas para obras em rodovias e no aeroporto de Navegantes e para a expansão da educação profissional, tecnológica e superior.

 

Trabalho

O Sine catarinense deve receber nos próximos dias R$ 2,9 milhões para serviços como a emissão de carteira de trabalho. A garantia foi dada pelo ministro do Trabalho, Caio Vieira de Mello, ao governador Eduardo Pinho Moreira, durante reunião, ontem, em Brasília. Foi assinado ainda um um convênio para montar um espaço físico com computadores para cursos online da Escola do Trabalhador. Não há data prevista para a inauguração.  

 

Pesca de Arrasto

O secretário Nacional da Pesca, Dayvson Franklin de Souza, garantiu que nenhum fiscal dos órgãos federais irá multar os pescadores que continuarem com a pesca de arrasto na Costa gaúcha. Desde o fim de outubro, está em vigor uma lei aprovada pela Assembleia do Rio Grande do Sul, que aumenta a área de proibição para a pesca de arrasto.

No entanto, Dayvson afirma que para o governo federal vale a legislação federal, inclusive, ressaltou que as permissões para a pesca foram dadas pela Secretaria Nacional. Ele alertou também que se o governo gaúcho quiser multar esses pescadores poderá ter que enfrentar uma série de ações na Justiça.

Deixe seu comentário:

Carolina Bahia

Carolina Bahia

Carolina Bahia

O olhar de Santa Catarina no dia a dia da política nacional. O que acontece em Brasília e os feitos no Estado das decisões tomadas na capital do país.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação