publicidade

Navegue por
Carolina

Brasília

O vaivém do governo Bolsonaro

Compartilhe

Por Carolina Bahia
11/01/2019 - 05h00 - Atualizada em: 11/01/2019 - 05h00
Bolsonaro
(Foto: )
interino

A segunda semana de governo Jair Bolsonaro vai terminando e uma marca, negativa, tem se destacado: o recuo em decisões importantes. E o vaivém que mais chamou a atenção envolveu justamente o presidente ao afirmar que assinou um decreto para aumento de impostos.

Nenhuma resposta, por mais lógica que possa ser, ajuda a entender como se divulga algo tão impopular sem que isso de fato vá ocorrer, pelo menos a curto prazo.

Sem falar que ter um presidente da República sendo desmentido por um secretário é, no mínimo, atípico. Outro embaraço foi a demissão do presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), Alex Carneiro, anunciada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, na quarta-feira, mas que não saiu como planejado. Carneiro apareceu para trabalhar e disse que deixa o cargo apenas depois que o próprio Bolsonaro assinar a demissão. Antes de enfrentar os desafios que tem pela frente, será necessário organizar a comunicação dentro do próprio governo.   

Imagem

Para o ex-ministro petista Tarso Genro, a ida da presidente nacional Gleisi Hoffmann (PT) à posse de Nicolás Maduro não ajuda na reconstrução da imagem do PT. Tarso afirmou ainda que não sabia as razões da direção de o PT ter enviado Gleisi para a posse a ainda alfinetou o governo Bolsonaro:

- A oposição a Maduro é muito pior do que o Maduro, que já é um governo muito ruim, parecido com o nosso aqui do Brasil.

Adivinhação

O senador Paulo Bauer (PSDB) chamou de “adivinhação” a informação de que ele seria o futuro secretário especial do Senado, no governo Bolsonaro. À coluna, o senador catarinense afirmou que houve sim uma conversa com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, mas que nada foi acertado. Onyx e Bauer devem se encontrar novamente após o dia 20, quando a decisão final sobre o assunto será tomada. O certo é que a Casa Civil terá duas coordenações que serão dedicadas à relação com o Congresso, uma para a Câmara e outra para o Senado.  

Vidro trincado

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), levou um susto durante voo com o avião da FAB. Em viagem oficial a Cabo Verde, foi informado que teria que voltar porque a janela do piloto teve o vidro trincado. Maia cancelou a participação na Assembleia Parlamentar da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que ocorre no país africano.

Frase

A reforma do Imposto de Renda está na nossa pauta, mas não é uma prioridade imediata. A prioridade para o governo é a aprovação da reforma da Previdência".  – Marcos Cintra, secretário especial da Receita Federal.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação