Navegue por

publicidade

Carolina

Política

Os irresponsáveis

Compartilhe

Por Carolina Bahia
13/07/2018 - 01h45 - Atualizada em: 13/07/2018 - 01h44
(Marcos Oliveira, Agência Senado)

Criticado por ter votado uma pauta-bomba que vai comprometer o orçamento do próximo presidente da República, o Congresso tenta lavar as mãos. 

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), resolveu afirmar que todas as matérias que aumentam gastos nasceram do próprio Executivo e que os parlamentares têm todo o direito de apresentar emendas. Neste caso, a irresponsabilidade é geral. Fraco, o governo de Michel Temer já não tem condições de garantir a vontade da equipe econômica.

Na votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, nem o líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), ajudou. Ele, que já foi ministro do Planejamento, defendeu emenda que permite o reajuste dos servidores públicos em 2019. A cereja do bolo ficou por conta da comissão especial que aprovou de forma simbólica um texto que permite indicações políticas nas empresas estatais.

 

VERRUGA

O Palácio do Planalto esqueceu de combinar com os principais aliados a mesma versão sobre o atendimento do presidente Michel Temer no departamento médico da Câmara. A assessoria do presidente informou que ele foi retirar uma verruga do rosto, um procedimento estético. Já o deputado Darcísio Perondi (MDB-RS) comentou que se tratava de exames de rotina.

 

Veja também: 

Saiba o que Temer foi fazer no Departamento Médico da Câmara dos Deputados

 

Faltou lugar

O Conselho de Ética da Câmara atrasou em quase duas horas a sessão da última quarta-feira porque não havia espaço disponível. O fato ocorreu por conta da correria dos deputados para conclusão dos trabalhos antes do recesso parlamentar. Durante a manhã, 25 comissões registravam reuniões marcadas, mas a Câmara possui apenas 16 salas para isso.

 

DESIDRATOU

O relatório da Lei de Diretrizes Orçamentárias apresentado pelo senador Dalírio Beber (PSDB) acabou desidratado. Diante da pressão do funcionalismo público, caíram as restrições ao reajuste salarial e novas contratações. Colega de plenário do catarinense, o senador Romero Jucá (MDB-RR) apresentou emenda beneficiando os servidores.

 

DOIS PESOS...

A Procuradoria-Geral da República pediu ao STJ, com toda razão, a abertura de investigação contra o comportamento do desembargador do TRF4 Rogério Favreto no episódio do habeas corpus do ex-presidente Lula. Essa confusão no Judiciário, no entanto, começou pelos exemplos do STF.  Quem irá investigar os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli?

 

Leia outras publicações de Carolina Bahia

Veja também: 

Governo de SC anuncia que vai pagar somente 25% do 13º salário em julho

Cabeça de Político: Cesar Souza Junior (PSD)

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação