nsc

publicidade

Dagmara

Infraestrutura

Balneário Camboriú faz nova avaliação de jazida de areia para alargar a Praia Central

Compartilhe

Por Dagmara Spautz
20/08/2019 - 06h44 - Atualizada em: 20/08/2019 - 10h03
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A prefeitura de Balneário Camboriú iniciou uma nova avaliação da jazida escolhida para a retirada da areia que servirá para o alargamento da Praia Central. O ponto está a 15 quilômetros da orla, na altura da Ilha das Cabras.

A análise foi uma exigência do Instituto do Meio Ambiente (IMA) para concessão da licença ambiental de instalação, a LAI. Os testes são feitos em “amostras indeformadas”, termo usado para definir recortes do solo que são levados ao laboratório com o menor índice possível de alteração. O material é recolhido de diversos pontos de perfuração na jazida.

A escolha da areia correta, feita pelo braço latino-americano do Grupo Shaw, que tem sede nos Estados Unidos, é o ponto mais delicado do trabalho. Se os grãos forem muito finos, a praia fica plana demais e isso interfere na dinâmica das ondas.

Se muito grossos, transformam as características da orla em praia de tombo, com mais inclinação. Se houver excesso de lama, a areia da praia ficará mais escura.

A expectativa é que a nova avaliação da jazida demore até 60 dias. O IMA pediu, ao todo, 42 condicionantes para emitir a licença ambiental de instalação, que permite o início das obras.

Veja como é o projeto
Veja como é o projeto
(Foto: )

Edital

O estudo da jazida deve protelar o lançamento do edital de licitação para contratar a empresa que fará o alargamento da Praia Central. O gestor do Fundo Especial de Outorga Onerosa de Transferência de Potencial Construtivo, Rubens Spernau, disse ontem que a minuta do edital está pronta, mas a prefeitura optou por passar um pente-fino na proposta, para evitar a judicialização e atrasos na concorrência, e também preferiu esperar o resultado da avaliação da jazida.

Economia

Não há dúvidas, por parte da prefeitura, quanto à escolha do local para retirada da areia. Mas entende-se que a nova análise poderá indicar, por exemplo, se haverá necessidade de descarte de parte da areia retirada da jazida, e qual o volume que ele representa. Isso, de acordo com Spernau, deve baratear o preço final da obra, que será licitada por R$ 85 milhões.

Deixe seu comentário:

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

dagmara.spautz@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade