nsc
nsc

Novo contrato

Beneficiários podem ficar sem plano de saúde na UFSC; prazo de migração termina sexta

Compartilhe

Dagmara
Por Dagmara Spautz
27/11/2019 - 19h03
UFSC (foto: Felipe Carneiro, Arquivo NSC)
UFSC (foto: Felipe Carneiro, Arquivo NSC)

Os 8 mil servidores, aposentados e pensionistas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) que são titulares de plano de saúde coletivo têm até sexta-feira (29) para migrarem para novo contrato. Caso contrário, perderão a cobertura ou podem entrar em novo período de carência.

A mudança ocorre porque a Unimed, que já era a fornecedora dos planos de saúde, venceu nova licitação. A empresa continua a mesma, mas o contrato mudou - em alguns casos, os planos ficaram mais caros.

A renegociação ocorreu depois de três licitações desertas, sem interessados. Na última concorrência pública, apenas a Unimed se credenciou. O contrato com a UFSC é de cerca de R$ 70 milhões ao ano, e tem 15 mil beneficiários, contanto os dependentes.

A Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas da UFSC (Prodegesp) alerta para o prazo de repactuação dos planos porque, até o início da semana, apenas 3 mil titulares haviam feito a migração.

O atual contrato de prestação do serviço termina no próximo dia 30 de novembro. A repactuação pode ser feita online, no site planodesaude.ufsc.br, ou presencialmente, na Coordenadoria de Saúde Suplementar, localizada no andar térreo da Biblioteca Universitária.

Deixe seu comentário:

Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Últimas do colunista

Loading interface...
Dagmara Spautz

Colunista

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

siga Dagmara Spautz

Mais colunistas

    Mais colunistas