nsc
    nsc

    Laço Branco

    Campanha da OAB e PM de SC incentiva homens a combater violência contra a mulher

    Compartilhe

    Dagmara
    Por Dagmara Spautz
    09/12/2019 - 10h53
    Presidente da OAB/SC, Rafael Horn, com o comandante da 8ª Regional da PM de Tubarão, coronel Jefer Francisco Fernandes (foto: Divulgação)
    Presidente da OAB/SC, Rafael Horn, com o comandante da 8ª Regional da PM de Tubarão, coronel Jefer Francisco Fernandes (foto: Divulgação)

    A OAB/SC aderiu ao movimento internacional Laço Branco, e deve iniciar uma ampla campanha de sensibilização pelo o fim da violência contra a mulher, voltada ao público masculino. A mobilização é apontada pela ONU como uma das maiores iniciativas mundiais nesse sentido. O movimento já está presente em mais de 50 países.

    Em SC, o movimento é fruto de parceria entre a OAB e a Polícia Militar. O compromisso foi firmado pelo presidente da Ordem, Rafael Horn, com o comandante da 8ª Regional da PM de Tubarão, coronel Jefer Francisco Fernandes, que representou o comandante geral, coronel Araújo Gomes. A assinatura ocorreu durante o Colégio de Presidentes de Subseções, órgão deliberativo da OAB/SC que reúne as 49 representações da instituição no interior, que encerrou no sábado (7) em Gravatal, no Sul do Estado.

    Todos os homens presentes no Colégio de Presidentes assinaram simbolicamente o cartaz da campanha e passaram a usar um boton de laço branco, alusivo ao compromisso. De acordo com a presidente da Comissão da Mulher Advogada, Rejane da Silva Sanchez, o movimento deve ser espalhado para todo o Estado. Uma das linhas de atuação será a defesa de mais medidas educativas para enfrentar a violência contra a mulher.

    - Os debates ficam muitas vezes vinculados às mulheres. Contudo, os homens e meninos também são atores, como pais, filhos, irmãos, amigos, defensores e advogados, agressores, órfãos, etc. Todos são afetados, direta ou indiretamente. Além disso, o debate sob a perspectiva do homem também deve ser feito. A escuta ativa e o diálogo precisam avançar para vivermos uma sociedade mais pacífica - considera.

    O presidente da OAB/SC diz que há empenho da entidade em construir uma rede de proteção e equidade de gênero com ações que vão desde saúde, educação e trabalho, até segurança pública e direitos humanos.

    Como os homens podem participar

    - Ouvir e participar de debates sobre o assunto, buscar informação adequada, evitar falas e brincadeiras constrangedoras e que rotulam tanto mulheres como homens.

    - Dividir tarefas domésticas; reconhecer que ambientes mais diversos são mais ricos, mais prósperos.

    - Apoiar as mulheres que desejam buscar a sua colocação profissional; entender que os homens também podem sofrer, chorar.

    - Aprender a dialogar e ouvir.

    - Buscar auxílio psicológico ou indicar a um conhecido, quando necessário.

    - Intervir se souber de algum caso de violência próximo, mesmo que seja amigo.

    - Denunciar casos de violência contra a mulher pelo telefone 180.

    Participe do meu canal do Telegram e receba tudo o que sai aqui no blog. É só procurar por Dagmara Spautz - NSC Total ou acessar o link: https://t.me/dagmaraspautz​

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas