nsc

publicidade

Dagmara

Telecomunicações

Em Itajaí, secretário de Bolsonaro diz que privatização da Telebras segue em estudo

Compartilhe

Por Dagmara Spautz
09/09/2019 - 17h27 - Atualizada em: 09/09/2019 - 18h34
Foto: Zeca Ribeiro, Câmara dos Deputados
Foto: Zeca Ribeiro, Câmara dos Deputados

O secretário Nacional das Telecomunicações, Vitor Menezes, esteve em Itajaí no fim de semana para um compromisso pessoal. Participou, a convite do vereador Edson Lapa, do Café com Pastores, um evento que ocorre mensalmente na sede do grupo missionário evangélico Mevam.

Vitor, que atua ao lado do ministro Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, respondeu questionamentos da coluna sobre alguns dos assuntos que estão em sua pasta – da privatização da Telebras, que dá suporte aos serviços de telecomunicação no país, à regulamentação da Internet das Coisas no Brasil.

Entrevista: Vitor Menezes

Qual a expectativa do governo para universalização da banda larga por meio do Internet para Todos?

A atuação no ministério está voltada a um programa chamado Brasil Conectado. A ideia é que se possa levar conectividade a todo o país, principalmente usando redes de fibra ótica. (Estamos) começando com a região Norte, colocando internet na bacia amazônica, um cabo de fibra óptica subfluvial, e no Nordeste, por meio das redes elétricas das companhias de energia. Com isso, a gente pretende levar para todo o país. O Internet para Todos é um programa específico, que gera estímulo tributário para que pequenos provedores prestem serviço de internet em comunidades não atendidas. É um programa que também está no nosso rol de opções, mas estamos aguardando uma definição do Confaz para podermos avançar.

Como o governo está atuando com o marco regulatório que favorece a Internet das Coisas?

Publicamos recentemente um decreto de Internet das Coisas, que tem quatro áreas de atuação: saúde, cidades, indústria e rural. Para cada um desses segmentos estamos criando câmaras. Criamos a Câmara da Indústria 4.0, a Câmara do Agro 4.0, na sequência vamos criar a Câmara das Cidades 4.0, e logo a da Saúde. Nessas câmaras, vamos aplicar as medidas que estamos pensando para esse mundo de Internet das Coisas. Conectividade, aplicações, pesquisa e desenvolvimento.

Qual a expectativa de privatização da Telebras?

A Telebras está no PPI, que é o programa de parcerias do governo, em estudo. Estamos avaliando para ver qual vai ser a proposta. Eles agora vão iniciar um estudo que leva 180 dias, e ao final desse prazo vão nos indicar qual o conselho que nos dão, se é privatização, abertura de capital, o que propõem. Enquanto isso a gente continua operando a companhia normalmente, com as políticas públicas para que possa aguardar até o final dos estudos.

Como o corte das bolsas de CNPq está repercutindo no ministério?

Essa não é bem a minha área, mas o nosso Ministério está completamente empenhado em evitar que os pesquisadores sofram cortes no recebimento das suas bolsas. O ministro está empenhado nas questões orçamentárias, acredito que vai dar certo e em breve vamos ter uma solução adequada para que (os pesquisadores) não fiquem sem receber.

Deixe seu comentário:

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

Dagmara Spautz

O que acontece de mais relevante em boa parte do litoral catarinense, especialmente Itajaí e Balneário Camboriú. Fontes exclusivas e informações de credibilidade nas áreas de política, economia, cotidiano e segurança.

dagmara.spautz@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade