nsc
nsc

Tigre

Dia de transição: Criciúma elege novo presidente

Compartilhe

Denis
Por Denis Luciano
28/06/2022 - 06h32 - Atualizada em: 28/06/2022 - 08h12
Guedes, o presidente que chega, e Freitas, o presidente que sai
Guedes, o presidente que chega, e Freitas, o presidente que sai (Foto: Celso da Luz / Criciúma EC)

Sem sobressaltos. É assim que o Criciúma parte para mais uma transição política, o que vem sendo recorrente nos últimos anos. Mas agora, ao contrário da troca de presidente no fim de 2020, o Tigre navega em águas mais tranquilas. Faz boa campanha na Série B do Brasileiro, confirma o favoritismo na Série B do Catarinense, mantém as contas em dia e tem dinheiro em caixa, confirmando um fato que não vem de hoje: é o clube em melhores condições financeiras em Santa Catarina.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

O Conselho Deliberativo reúne-se na noite desta terça-feira (28) para eleger o sucessor do presidente Anselmo Freitas, que renunciou no último dia 2. - Eu procurei no dicionário o que significa a palavra 'renúncia' e não é isso o que vai acontecer no Criciúma. Eu tenho todo o apoio dos nossos vice-presidentes, os nossos diretores também têm conhecimento, a gente já havia feito uma conversa sobre isso no fim do ano passado - anunciou Freitas, na ocasião.

O clima de acordo confirmou-se. Entre os vice-presidentes houve o consenso em torno do nome do empresário Vilmar Guedes para assumir a presidência. Ele era o responsável pela vice-presidência de Finanças e vinha trazendo as contas em rédea firme e curta no estádio Heriberto Hülse. O vice-administrativo Alexandre Farias, primeiro na linha sucessória de Anselmo Freitas, também queria, mas deu a vez. - O Guedes tem mais de 30 anos de serviços prestados ao Criciúma e será um grande presidente - apontou Farias, que continuará na mesma função na nova gestão. Com eles, estarão ainda os vice-presidentes de Patrimônio, Antônio Deoclésio Pavei, e de Finanças, Valter Minotto.

- Vamos fazer uma transição muito tranquila - garantiu Guedes. - Está tudo combinado. É uma continuidade do que foi feito. O Criciúma tem um manual de bordo, tem um planejamento com propósitos claros de manutenção na B do Brasileiro e volta à A do Catarinense - sublinhou.

Diretoria eleita em janeiro de 2021: Freitas, Guedes, Farias e Pavei
Diretoria eleita em janeiro de 2021: Freitas, Guedes, Farias e Pavei
(Foto: )

A posse do novo presidente será ainda nesta noite, logo após a eleição que ocorrerá com chapa única. Vilmar Guedes pontua investimentos em infraestrutura como prioridades no clube. Uma das metas é melhorar a iluminação do estádio Heriberto Hülse - Temos que pensar o Criciúma de hoje, uma usina de energia dentro do estádio para melhorar a iluminação, temos que ampliar de 875 lux para 2,5 mil lux se quiser pensar em ascensão futura à Série A. Mas isso tem que ser feito já, investimento de R$ 3 milhões - registrou. - Um poço artesiano no CT para reduzir custo de água, temos custo muito alto de energia - destacou.

E o novo presidente não foge a um debate que é polêmico na cidade: a possibilidade de o Criciúma ter um novo estádio, em localização diferente à atual, em área de grande valor imobiliário no Bairro Comerciário, ponto nobre da cidade. - Temos sim que pensar o Criciúma do futuro, se fica no Heriberto Hülse ou se vai para o CT - observou. Guedes já manifestou posição pessoal contrária à saída da atual localização, mas defendendo profundas transformações estruturais, como a construção de um estacionamento no subsolo do estádio, além de nova fachada e aproveitamento do entorno para construção de lojas.

Os 14 mil sócios

Um dos trunfos do trabalho que Vilmar Guedes vinha executando na área de finanças, acumulando com atribuições do comercial e marketing, foi o salto no número de associados. Em um ano, o Criciúma saltou de 900 para 14,5 mil associados pagantes.

O novo presidente calcula que, atualmente, o Criciúma pode vender no máximo 700 ingressos por jogo nas bilheterias, levando-se em conta que há os espaços do Heriberto Hülse que devem ser reservados para sócios e outros. - Além dos 14,5 mil sócios, o clube precisa reservar 1,9 mil lugares para os visitantes, temos estimativa de 1 mil crianças por jogo, 800 cortesias, 180 ingressos para esposas de atletas e funcionários e 70 para a base. Se todos os sócios forem, temos apenas 700 lugares para ter a capacidade total tomada - contabilizou.

Novo presidente conta com salto extraordinário no número de sócios
Novo presidente conta com salto extraordinário no número de sócios
(Foto: )

As turbulências de 2021

O empresário Anselmo Freitas assumiu o Criciúma no início de 2021 em grave crise, após a saída do presidente Jaime Dal Farra. Sem dinheiro em caixa e com poucos jogadores disponíveis, o clube fez campanha sofrível no Catarinense, sendo rebaixado pela primeira vez na sua história. 

Foi para a Série C sob forte desconfiança. Porém, uma boa campanha em paralelo na Copa do Brasil, chegando às oitavas de final, fez o Criciúma encorpar o orçamento e fazer investimentos que foram decisivos para a conquista do acesso no Brasileiro. Foi a partir da confirmação do retorno à Série B, em novembro, que o quadro de sócios começou a aumentar e o orçamento do clube voltou a fechar no azul, depois de anos no vermelho.

Freitas deixa Tigre com dinheiro em caixa

Na prestação de contas do que fez em 1 ano e meio à frente do Criciúma, Anselmo Freitas destacou a manutenção da estrutura física, as contas todas em dia, saldo positivo de quase R$ 2 milhões no caixa e outros encaminhamentos. 

- Temos emenda parlamentar de R$ 1 milhão a entrar no cofre, aprovação de projeto de R$ 4,2 milhões no Ministério dos Esportes, renovação de contratos com todos os patrocinadores de mais de R$ 3 milhões, mais de R$ 8 milhões a receber da CBF, superávit até o fim do ano, acesso à Série B, elevação de 900 sócios em fevereiro de 2021 a mais de 14 mil em junho de 2022 e o ponto negativo, que eu não deixaria de colocar, o rebaixamento para a Série B do Catarinense mas tenho certeza que esse ano a gente já sobe - elencou Freitas.

Questões pessoais e de saúde motivaram a decisão de Anselmo Freitas de deixar a presidência. - 2021 foi muito difícil para mim, não sou um profissional do futebol e tive que correr atrás para aprender. Por me dedicar demais e ser um grande apaixonado, não consegui separar as funções de presidente e torcedor, o que prejudicou minha saúde física e psicológica - salientou. 

Anselmo Freitas ficou 1 ano e meio na presidência
Anselmo Freitas ficou 1 ano e meio na presidência
(Foto: )

Em campo, tudo bem

Dentro de campo, o Criciúma vai bem. Sétimo colocado da Série B nacional com 19 pontos, o Tigre pode ingressar no G-4 nesta quarta-feira (29). Para tanto, precisará vencer o Náutico em Recife e dependerá de derrota do Grêmio para o Londrina, de derrota ou empate do Sport contra o Cruzeiro e de tropeço do Tombense frente ao CRB. No último sábado (25), o Criciúma ganhou do Vila Nova em casa por 1 a 0.

Na Segunda Divisão estadual, o Criciúma vem de vitória sobre o Metropolitano por 1 a 0 e lidera com 10 pontos. O próximo compromisso será no dia 6, diante do Nação de Joinville em Criciúma.

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Denis Luciano

Colunista

Denis Luciano

Jornalista com longa experiência no rádio e no digital, Denis Luciano aborda os principais assuntos do Sul catarinense, uma das regiões mais relevantes no Estado.

siga Denis Luciano

Mais colunistas

    Mais colunistas