Musicalidade nas veias, é isso que encontramos sobrando no querido Cléo Borges, que durante muito tempo arrastou multidões com a banda Iriê. Ao longo da sua carreira o musicista inquieto tem sido responsável pela produção de muitos artistas do cenário artístico catarnense, e também, de outros do nosso país.

Continua depois da publicidade

Sua inquietação trouxe à tona recentemente um novo encontro de feras da música. Em abril de 2019 ficou responsável em montar uma banda pra um evento de surf em Florianópolis e convidou alguns músicos para participar. O Magrão, o primeiro parceiro  no novo projeto, tinha acabado de chegar de São Paulo, estava morando em Floripa e veio gravar um single no Mangue Mix Estúdio para um projeto solo, e foi intimado para participar do evento, ensaiaram algumas vezes e o evento acabou não acontecendo.

Os caras tinham um repertório ensaiado, uma boa banda montada, foi aí que decidiram criar o projeto da Qback, que nasceu da palavra Back (de “voltar”). O Magrão estava 10 anos fora do mercado e, com sua nova vida aqui, resolveu retomar, e Cléo estava lançando um novo projeto fora da Iriê.

A Qback mistura as influências da praia trazidos por Cléo e seu filho, e o asfalto, a selva de pedra trazidos pelo Magrão, as letras reflexivas, criativas, falam do momento atual em que vivemos, estimulam o público a batalhar para conseguir seu espaço. Falamos de vitórias, união e evolução do ser humano.

Com a chegada da Qback, havia necessidade de criar novas oportunidades, preparar o terreno para que pudéssemos trabalhar nos dias de hoje. Foi aí que criaram a URC, União do Reggae Catarinense, diversas bandas do Estado trabalhando de forma organizada na internet criando ações, movimentando a cena local e levando mais visibilidade para a música do Estado.

Continua depois da publicidade

Cléo já vinha realizando um trabalho similar com o Ras Bernardo (ex-Cidade Negra) e algumas bandas de Floripa no campo físico. O Magrão, que também é do meio do marketing, aprimorou a idéia e levou pras redes sociais.

O objetivo sempre foi estimular a cena musical do Estado, não só do reggae, mas todos  os segmentos, trazendo mais oportunidades, visibilidade, gerando eventos, aquecendo o mercado de audiovisual.

Em um ano de projeto, já rolou muito som e o trio ganha cada vez mais destaque nas plataformas de streaming como o Spotify, onde conquistaram mais de 10 mil fãs e 38 mil plays do single “Marzão”.

Em 2019, a banda foi atração no evento Fenaostra e também marcaram presença no Réveillon da Beira-Mar de Florianópolis, nada mal pra uma banda dando seus primeiros passos.

Continua depois da publicidade

Até o momento já foram quatro singles lançados, incluindo a regravação de “Nós vamos invadir sua praia”, grande clássico do Ultraje a Rigor nos anos 80.

No 11 de setembro, lançaram o primeiro álbum produzido pelo próprio Cléo, com destaque para a música “Filhos do acaso” que tem um vídeoclipe baseado em fatos reais.

Aumente o som, que a Qback chegou.

Destaques do NSC Total