A Defensoria Pública de Santa Catarina conseguiu suspensão de decisão que determinava a retirada de mais de 70 famílias de suas moradias na Caieira, em Florianópolis. Apesar do processo ser de 2013, em janeiro deste ano é que a 2ª Vara Cível da Capital concedeu liminar para que todas as famílias que ocupavam a área deixassem suas casas. A Defensoria tomou conhecimento do caso e, em análise do processo, verificou equívocos na decisão, entrando com recurso no Tribunal de Justiça de Santa Catarina.

Continua depois da publicidade

De acordo com o defensor público responsável pela ação, Marcelo Scherer da Silva, em seis anos de trâmite processual, não se acionou qualquer órgão de assistência social do município para que fosse feito levantamento e acompanhamento das famílias, tampouco há plano prévio de remoção e reassentamento das famílias, “ou qualquer outra medida para minorar as graves consequências da execução da decisão. Nada”, declara. Para o defensor, o cumprimento poderia se tornar um desastre.

— Nem antes, nem no momento da decisão, foi consultada a Polícia Militar para verificar acerca da possibilidade de execução da ordem e quais são os riscos que envolvem a operação — aponta.

Segundo a Defensoria, são pelo menos 64 crianças e 78 famílias no local. O desembargador Ricardo Fontes acolheu os fundamentos e suspendeu a reintegração.

Continua depois da publicidade

Destaques do NSC Total