publicidade

Navegue por
Eduarda

Saúde

Ala fechada no Hospital Tereza Ramos, em Lages, será reaberta neste mês

Compartilhe

Por Eduarda Demeneck
12/04/2019 - 14h39 - Atualizada em: 12/04/2019 - 16h28
Foto: Alvarélio Kurossu / Agência RBS
Foto: Alvarélio Kurossu / Agência RBS

A ala do 5º andar do Hospital Tereza Ramos, em Lages, está desativada desde março. Treze quartos não estão sendo utilizados. Mas, nesta sexta-feira (12), o secretário de Estado de Saúde, Helton Zeferino, afirmou que os leitos serão reabertos no dia 22 de abril.

O espaço será utilizado para um Hospital Dia, conforme anunciado no início do mês. A novidade é que, além desse uso para pacientes de baixa complexidade, a área também será destina para leitos após cirurgias e pacientes que precisem de isolamento.

— Para aquele andar, a instalação de uma unidade de curta permanência, que são aqueles procedimentos realizados dentro do hospital. O paciente, ele entra ou interna de manhã, faz o procedimento e, (no) final do dia, pode ir para sua residência. Naquele andar também serão disponibilizados leitos para cirurgia, para retaguarda da cirurgia. E como nós estamos identificando a questão de infectologia, provavelmente, a gente deixe um, dois leitos de isolamento para que possa atender a demanda do município — explica o secretário.

Com a desativação do 5º andar, o Pronto Atendimento Municipal ficou lotado nos últimos dias. O local é a porta de entrada para o Hospital Tereza Ramos.

Outro problema é a falta de médicos especialistas. Sobre esse assunto, o secretário informou que um estudo está sendo feito em todo o Estado para a contratação de novos profissionais, mas não deu prazo. 

Exame suspenso deve voltar a funcionar 

O exame de Angiotomografia de Coronárias está suspenso desde fevereiro e a previsão é que volte a ser realizado em maio, segundo o secretário Helton Zeferino. Lages era o único município em Santa Catarina que oferecia o exame de graça, desde 2017. É uma espécie de tomografia do coração, por ser menos invasivo que um cateterismo, por exemplo — traz menos riscos para vida dos pacientes.

Mês passado, a Secretaria de Estado da Saúde informou que o exame foi suspenso porque o médico que realizava o procedimento não tinha habilitação recomendada pelo SUS. Nesta sexta, o secretário afirmou que um novo profissional já foi contrato.

— Nós fizemos um ajuste, acabamos trazendo outro profissional para fazer esse procedimento. É um procedimento realmente de destaque, a gente precisa destacar isso porque é um hospital da rede que está fornecendo. Vamos começar a disponibilizar 50 exames mês – disse.

Outro problema questionado foi à falta de medicamentos no hospital, uma reclamação dos últimos dias em Lages. O secretário disse que, por conta da dívida com alguns fornecedores, eles não conseguem os medicamentos, mas estão negociando para tentar suprir a demanda o mais rápido possível. Ainda segundo o secretário, alguns remédios estão sendo substituídos para não prejudicar os atendimentos.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação