publicidade

Navegue por
Estela

CNTA

Caminhoneiros cobram medidas do governo federal

Compartilhe

Por Estela Benetti
23/04/2019 - 05h50 - Atualizada em: 23/04/2019 - 05h50
(Foto: Salmo Duarte / A Notícia)

Depois da sucessão de prejuízos causados pela greve do ano passado, os caminhoneiros autônomos voltam a cobrar medidas do governo federal para solucionar problemas de tabela de frete e alta dos combustíveis. Nesta segunda-feira, lideranças do movimento voltaram a ameaçar nova greve a partir de 29 de abril, segunda-feira, caso o setor não seja atendido. A Confederação Nacional de Transporte Autônomo (CNTA) foi recebida nesta segunda-feira pelo ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas.

Em SC, um dos Estados mais afetados ano passado, não há fortes mobilizações a favor do movimento. Apesar de a Federação das Empresas de Transportes de Cargas e Logística de SC (Fetrancesc) não estar envolvida em negociações por ser um problema de caminhoneiros autônomos, o presidente da entidade, Ari Rabaiolli, afirmou que o cenário é diferente este ano e acredita ser possível evitar a greve. Isto porque o governo federal está atento e negociando, há menor mobilização e não há apoio da população.

Segundo ele, as constantes altas do diesel, a baixa atividade econômica e a tabela do ano passado com preços fora da realidade do mercado, são os maiores problemas do setor que enfrenta, também, uma série de outros. Mas o presidente da Fetrancesc acredita que a nova tabela de frete que será lançada, mais realista, tenderá a ser cumprida. Ele lamenta que as empresas de transportes, que são as que contratam os fretes, não estejam sendo ouvidas também pelo governo federal. A torcida é por solução sem greve.

Avanços da Casan

A Casan, companhia estatal de água e saneamento do Estado, encerrou 2018 com receita líquida de R$ 1,08 bilhão, 6,34% superior a do ano anterior, conforme o balanço publicado na mídia ontem.

Mais uma vez, em função do impacto do Programa de Demissão Voluntária Incentivada (PDVI), a empresa fechou o ano com resultado final negativo. Teve um prejuízo contábil de R$ 119,2 milhões, mas excluindo o PDVI, teve lucro líquido de R$ 109,5 milhões.

A Casan está investindo R$ 2,2 bilhões em novos sistemas de água e esgoto. Um destaque foi o aumento de 2,81% no total de economias atendidas com esgoto ano passado. Outras novidades foram o aplicativo Casan SC para clientes e o cartão de crédito para financiar materiais para ligações dos imóveis ao sistema público.

Celesc e educação

Além dos dados financeiros do ano passado, que teve como destaque o lucro líquido de R$ 165 milhões, 148% mais que o do ano anterior, a Celesc destacou na publicação do seu balanço nesta segunda-feira sua atuação social e ambiental, com diversos reconhecimentos. A companhia recebeu o prêmio Empresa Cidadã por participar do programa Novos Caminhos, promovido pelo Tribunal de Justiça de SC com apoio da Fiesc e outras entidades. Esse programa proporciona formação profissional a jovens que passam por medida de acolhimento.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação