nsc
nsc

Mercado acionário

Catarinense Librelato mira valor de R$ 600 milhões de capital ao abrir na bolsa

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
02/03/2021 - 12h27
Um dos modernos graneleiros fabricados pela Librelato
Um dos modernos graneleiros fabricados pela Librelato, do Sul de SC (Foto: Divulgação)

A Librelato Implementos Rodoviários, de Içara, Santa Catarina, apresentou proposta para abrir capital na B3, a bolsa de valores do Brasil. A companhia, que tem 51 anos e é a terceira maior empresa brasileira no mercado de reboques e semirreboques sobre chassi para carga pesada, vai buscar capital no mercado para ampliar investimentos. O objetivo é ampliar o crescimento orgânico com investimentos em tecnologia e, também, fazer aquisições.

Os sócios da empresa que colocam ações à venda são a Librelato Participações, Vitória Ghisoni Librelato e VGL Administração de Bens. O capital social da companhia é de R$ 89 milhões e ela está autorizada a elevar esse montante para até R$ 600 milhões. O banco líder da oferta é o Itaú BBA e a instituição escrituradora é o banco Bradesco. 

Eventos climáticos elevam o pagamento de seguros em SC

No prospecto apresentado para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Librelato informou que obteve em 2020 receita bruta de R$ 1,038 bilhão, com a venda de 9.649 unidades, 2,7% a mais do que no ano anterior. Do total da receita, 88% veio da venda de implementos rodoviários e 12% da comercialização de autopeças. Quanto a mercados, 85% da receita teve origem no mercado nacional e 3% no exterior, com exportações para a Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile. A companhia, que tem 1.600 empregados e mais de 2.100 clientes no Brasil, revelou também que mais de 50% da receita resulta de comercializações ao agronegócio.

Fundada em 1969 no município de Orleans por Berto Librelato, a companhia começou como como uma pequena serraria. Logo iniciou a produção de carrocerias de madeira. O crescimento mais acelerado, com a transformação da empresa em SA, ocorreu em 2011, com aporte de capital de aproximadamente R$ 100 milhões do fundo CRP VII.

Entre as estratégias de crescimento, este ano, com a perspectiva do capital obtido na bolsa estão o avanço em tecnologias de processo e logística, incluindo robôs e digitalização da produção, realização de pesquisa e desenvolvimento e aprimoramento dos atuais ativos, incluindo mais aquisições de máquinas. O plano prevê aquisição de empresa para ampliar atividades.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas