Um fato novo apurado pelas pesquisas mensais do IBGE sobre a economia de Santa Catarina é a volta do resultado positivo da produção industrial na série anualizada, de 12 meses até fevereiro. Assim, os três grandes setores econômicos estão em alta agora no Estado porque o comércio e os serviços já operavam com crescimento. A indústria registrou crescimento de 0,4% nos últimos 12 meses, o comércio cresceu 4,4% e os serviços, 8,1%.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

A indústria de SC ficou mais de um ano com resultado negativo nesse indicador de 12 meses – valorizado pelos economistas por mostrar uma série – em função da queda nas vendas no Brasil e exterior. Essa crise foi causada pela inflação e juros altos resultantes da pandemia e guerra na Ucrânia. A melhora foi gradativa. Em janeiro esse índice  estava em -0,4%, em dezembro de 2023 em -1,4% e em novembro -1,7%.   

Agora, o setor está retomando crescimento, embora lento, porque o Banco Central do Brasil reduziu os juros e as economias de países desenvolvidos estão melhorando, apesar de eles não terem iniciado ciclo de corte de juros ainda.

Retomada da indústria

Continua depois da publicidade

No mês de fevereiro frente ao imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal, a produção industrial caiu -0,6%, mas os demais indicadores foram positivos. O setor cresceu 6,6% em fevereiro frente ao mesmo mês de 2023, avançou também em 6,6% no acumulado deste ano em relação aos mesmos meses do ano passado e voltou ao azul em 12 meses, com alta de 0,4%.

A indústria brasileira, em fevereiro teve recuo de -0,3% frente a janeiro, cresceu 5,0% frente a fevereiro do ano anterior, avançou 2,3% no ano e cresceu 1% nos últimos 12 meses.

Em SC, no mês de fevereiro frente ao mesmo mês do ano anterior, os setores que mais cresceram foram os de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (21,3%), produtos de madeira (13,4%), produtos têxteis (12,4%), produtos alimentícios (10,3%), produtos químicos (7,5%), materiais não metálicos (6,3%), celulose e papel (3,7%) e máquinas e equipamentos (3,7%).

Tiveram desempenho negativo nessa comparação somente os setores de móveis de madeira (-22,9%); veículos e carrocerias (-2,6%). A Federação das Indústrias do Estado (Fiesc) tem reiterado que o setor é forte em SC e puxa alta dos demais setores econômicos.

Continua depois da publicidade

O Centro de Inteligência e Estratégia da Facisc (CIE) começou a fazer acompanhamento de pesquisas do IBGE e de outras sondagens. De acordo com o diretor setorial de indústria da federação, Lito Guimarães, esse crescimento demonstra a volta da confiança dos empresários industriais catarinenses e o resultado é importante para as expectativas de crescimento da economia.

Comércio ampliado cresce

Os resultados foram todos positivos em fevereiro para o varejo ampliado em Santa Catarina. De acordo com a pesquisa do IBGE, frente ao mês anterior, na série com ajuste sazonal, o setor cresceu em volume 1,5% frente ao mês anterior. Na comparação com o mesmo mês de 2023, cresceu 11,3%, no primeiro bimestre frente ao mesmo período do ano passado teve alta de 6,8% e no acumulado de 12 meses, cresceu 4,4%.

Todos os resultados catarinenses superaram a média brasileira no comércio ampliado em fevereiro. O Brasil, em fevereiro frente ao mês anterior, com ajuste, cresceu 1,2% e nos últimos 12 meses avançou 3,6%.

Em SC, os setores que tiveram mais volume de crescimento em fevereiro frente ao mesmo mês de 2023 foram veículos, motocicletas e peças (22,7%), equipamentos para escritório, informática e comunicação (19,5%), artigos farmacêuticos, médicos, perfumaria e cosméticos (18,1%), atacado de alimentos, bebidas e fumo (16,9%), combustíveis e lubrificantes (6,4%), hipermercados e supermercados (6,1%).

Continua depois da publicidade

Tiveram resultados negativos os setores de tecidos, vestuários e calçados (-11,3%) e livros, jornais e papelaria (-1,2%). Os setores que mais aceleraram vendas no Estado em fevereiro foram os de veículos e peças porque a demanda por veículos segue aquecida.

Também tiveram bom desempenho os produtos para escritório e informática e medicamentos. E as altas vendas dos atacados de alimentos, combustíveis e hipermercados resultaram da alta visitação de turistas no Estado.

Alta dos serviços

Santa Catarina fechou o mês de fevereiro com resultados positivos do setor de serviços, segundo a pesquisa do IBGE. Na comparação com o mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal, o setor ficou no zero a zero em volume. Mas no acumulado de 12 meses até fevereiro, cresceu 8,1%, na comparação com fevereiro de 2023 cresceu 8,4% e no acumulado deste ano frente ao mesmo período do ano passado teve alta de 9,0%.

O desempenho foi melhor que a média nacional, que teve queda de -0,9% frente ao mês anterior e cresceu 2,2% em 12 meses. Na comparação com fevereiro de 2023 os serviços cresceram 2,5% no Brasil e no ano frente ao ano anterior, cresceu 3,3%.

Continua depois da publicidade

No Estado de Santa Catarina, em fevereiro frente ao mesmo mês de 2023, os serviços prestados às famílias recuaram -0,2%; os serviços de informação e comunicação tiveram alta de 11,6%; serviços profissionais, administrativos e complementares cresceram 7,1%; transportes, serviços auxiliares e correios tiveram alta de 9,3% e outros serviços cresceram 7,4%.

Para o vice-presidente da entidade, César Smielevski, à medida que a tecnologia avança, a área de serviços se torna mais forte. Para ele, o dinamismo do mercado de trabalho vem desencadeando efeitos em todos os grandes setores da economia.

Leia também

Celesc no pódio nacional dos melhores fornecedores de energia para empresas

SC apresenta potencial para investimentos no Brazilian Regional Markets

Conheça plantas que tornam ambientes saudáveis, segundo a Nasa

Primeira fragata fabricada em SC tem data para ser lançada ao mar

Como o programa Universidade Gratuita começa a impactar a economia de SC

Destaques do NSC Total