Pela segunda vez, o Grupo Oceanic, de Balneário Camboriú, integra consórcio para gestão de parques em São Paulo. Nesta quinta-feira, o Consórcio Novos Parques Urbanos, do qual participa a empresa catarinense, venceu o leilão realizado na B3 para a administração dos parques estaduais Villa-Lobos, Cândido Portinari e Água Branca. A disputa teve quatro participantes e o lance vencedor foi de R$ 62,7 milhões.

Continua depois da publicidade

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Dono do Oceanic Aquarium em SC, o grupo junto com mais três empresas, assumiu em setembro do ano passado a gestão de três grandes parques paulistas – o Zoológico, Zoo Safári e Jardim Botânico. Estão investindo neles R$ 417 milhões, conforme o leilão de fevereiro de 2021.

Após o certame desta quinta, o grupo vencedor, integrado por sete empresas, precisa aguardar a análise e homologação de documentos, o que deve ocorrer até maio. A expectativa é de que os trabalhos iniciem logo depois, informa o CEO do Grupo Oceanic, Cristiano Buerger Filho, o Kiko.

O plano de concessão, que é por 30 anos com possibilidade de prorrogação, prevê reforma dos espaços, modernização da vigilância e instalação de centros de visitantes, incluindo oferta de ações de educação ambiental.

Continua depois da publicidade

Para visitar esses parques, o público não paga ingresso. A remuneração das empresas acontecerá or meio de aluguel de espaços e a arrecadação com exploração comercial de restaurantes e lanchonetes.

O consórcio vencedor do leilão desta quinta é composto por sete empresas, entre elas os responsáveis pela gestão do Zoológico, Zoo Safári e Jardim Botânico: Grupo Oceanic e LivePark/DC Set Group. E mais quatro empresas dos setores de engenharia e construção: Turita, Era Técnica, Egypt e Pavienge.

Questionado sobre eventual participação de futuras concessões de parques em SC, o empresário Kiko Buerger disse que o grupo está analisando projetos no Brasil inteiro. São mais de 40 em processo de concessão, movimento que cresce com a tendência ESG (de sustentabilidade ambiental, social e governança). Em SC, segundo ele, ainda não foram publicados editais com esse objetivo, embora alguns parques estejam em análise para concessão. Quando forem publicados, o grupo pretende analisar.

– A seriedade do processo em São Paulo, até pela expertise que eles têm em concessões, dá embasamento muito importante para a gente decidir entrar. Ao contratar também a bolsa B3 para auxiliar no processo, procurando outros institutos, outras organizações para apoiar os projetos ajuda bastante dar mais apetite pelo negócio. Foram quatro participantes e saiu num percentual bem alto em relação ao lance mínimo – comentou Kiko Buerger.

Continua depois da publicidade

Em SC, o governo estuda a concessão de cinco parques, mas não lançou editais ainda. O processo de privatização avançou no Estado com a concessão de unidades federais. Em agosto de 2021 foi a vez do parque Serra Geral, concedido pelo Ministério do Meio Ambiente. 

Destaques do NSC Total