nsc
nsc

Inflação em alta

Para empresários, litro de leite pode custar mais do que R$ 7

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
23/06/2022 - 16h26 - Atualizada em: 23/06/2022 - 17h02
Estela Benetti
Alta de preços de alimentos é uma preocupação geral (Foto: Estela Benetti)

Com previsão de inflação de dois dígitos também este ano, uma nova preocupação é a retomada da alta do preço do leite em Santa Catarina, acompanhando movimento nacional. Durante a Exposuper, feira e congresso realizada pela Associação Catarinense de Supermercados (Acats), em Joinville, esta semana (de 21 a 23 de junho), o presidente da entidade, Francisco Crestani, disse que o preço do leite pode ultrapassar R$ 7, mas teve empresário alertando sobre custo ainda maior. Mas um fabricante de queijos de Minas Gerais, na feira, disse que o preço do leite pode chegar a R$ 10.

Receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp

Crestani disse que os supermercadistas já estão comprando o litro de leite em R$ 6, o que significa que custará R$ 7 ou mais ao consumidor, isso sem incluir o último aumento do diesel. Para alívio dos consumidores, ele afirmou que os preços de hortifruti, que subiram na seca, estão em queda porque voltou a chover. 

E os preços das carnes seguem estáveis, com preços mais baixos para cortes de ave e suíno, porque estão com elevada oferta no mercado interno.

Mas o cenário para o leite preocupa pela redução do número de produtores no Brasil. O empresário Lelo Oliveira, presidente da empresa Sítio Recanto do Queijo, de Minas Gerais, que participou da Exposuper, disse que na cidade dele o leite já custa mais de R$ 7 ao consumidor e deverá chegar a R$ 10, tendência que segue no país.

Mesmo com redução de imposto, leite continua caro em SC; entenda por que

Tanto ele quanto Crestani reconhecem os obstáculos atuais como entressafra, altos custos de produção devido a alimentação e transporte caros. Mas o gargalo do setor, no Brasil, está na queda da produção no campo.

A causa principal é o abandono da atividade por parte de agricultores porque tiveram que atuar com prejuízo nos últimos dois anos ou podem ter receita maior em outras atividades. Isso sinaliza que o país deveria adotar algumas políticas para garantir equilíbrio na oferta porque somente as leis do livre mercado não são suficientes para esse produto estratégico.

Leia também

SC exporta mais de US$ 1 bilhão em maio e repete recorde histórico

Empresa de SC contrata energia para dez anos de olho no mercado livre do varejo

Inflação de Florianópolis sobe pela 25ª vez consecutiva com alta de 0,36% em maio

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas