nsc
nsc

Investimentos

Projetos da JBS que superam R$ 400 milhões recebem licença prévia

Compartilhe

Estela
Por Estela Benetti
16/06/2021 - 19h54 - Atualizada em: 16/06/2021 - 21h22
rge Lima, Edilene Steinwandter, Melisa Marengo, Altair Silva e Emerson Maas em Mafra
Jorge Lima, Edilene Steinwandter, Melisa Marengo, Altair Silva e Emerson Maas em Mafra (Foto: Secretaria de Agricultura, divulgação)

O grupo JBS, dono da Seara Alimentos e de outros negócios em Santa Catarina, deu mais um passo para viabilizar dois investimentos no Estado. Recebeu nesta quarta-feira, em Mafra, as licenças ambientais prévias (LAPs) para modernização do frigorífico da Seara em Itaiópolis, projeto de R$ 262 milhões; e para a unidade fabricante de biodiesel em Mafra, orçada em R$ 180 milhões.

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

A entrega das licenças foi realizada pelo secretário de Estado da Agricultura, Altair Silva. Agora, o grupo aguarda as licenças para instalação dos empreendimentos. Participaram do evento também a diretora da JBS Melisa Marengo; presidente da Epagri, Edilene Steinwandter; prefeito de Mafra, Emerson Maas; e o diretor do Sindicato das Indústrias da Carne (Sindicarnes), Jorge Luiz de Lima.

De acordo com o secretário, os investimentos para a Seara serão para melhorar abatedouro de aves, ampliar a fábrica de ração e de premix. A unidade vai trabalhar em três turnos e, por isso, abrirá 673 novos postos de trabalho, somando 2.180 empregos diretos na região. A unidade de biodiesel, quando entrar em operaçao este ano, vai gerar 100 empregos diretos e cerca de 300 indiretos. 

O diretor do Sindicarnes aproveitou o encontro para chamar a atenção ao elevado nível de investimentos do setor de proteína animal em Santa Catarina, este ano. Serão R$ 3 bilhões por parte das quatro maiores empresas do setor: Seara, Aurora, BRF e Pamplona.

O agronegócio de proteína animal não parou de investir desde o ano passado porque não teve atividades suspensas durante a pandemia por ser um setor essencial. Além dos investimentos previstos nas plantas, as empresas fizeram melhorias para se adaptar às medidas de prevenção à Covid-19.

Os investimentos do setor acontecem mais fácil em SC também porque o estado conta com ecossistema produtivo completo, incluindo logística para carnes congeladas. Segue com vantagens nas exportações de carne suína por ter sido o primeiro estado livre de aftosa sem vacinação reconhecido pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) em 2007.

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Estela Benetti

Colunista

Estela Benetti

Especialista na economia de Santa Catarina, traduz as decisões mais relevantes do mercado, faz análises e antecipa tendências que afetam a vida de empresários, governos e consumidores.

siga Estela Benetti

Mais colunistas

    Mais colunistas