publicidade

Navegue por
Estela

Tecnologia de SC acelera Justiça e evita contratações

Compartilhe

Por Estela Benetti
09/07/2018 - 05h00 - Atualizada em: 09/07/2018 - 05h00

Um dos setores que podem contar com tecnologia de ponta e inteligência artificial é o da Justiça. Quando os tribunais adotam essas soluções de vanguarda, conseguem acelerar decisões, liberar servidores para outras atividades e evitar novas contratações. Quem se destaca na oferta dessas tecnologias no Brasil e exterior é a empresa Softplan, de Florianópolis com o software SAJ (Sistema de Automação da Justiça). Desde 1997, o Tribunal de Justiça de São Paulo, o maior da América Latina, usava esse software parcialmente e em algumas cidades. Em 2011 estava em penúltimo lugar na qualidade de atendimento entre os Estados do país e optou por digitalização total com o sistema manezinho. Ano passado, com as soluções em pleno funcionamento, avançou para o segundo lugar e a agilidade motivou até convite para o diretor de Negócios e Serviços da empresa, Rodrigo Santos, apresentar o case na conferência da ONU em Bonn, Alemanha, para mais de 150 países.

Antes da Softplan, um cidadão de São Paulo demorava quase 900 dias para ter uma sentença de primeiro grau. Ano passado, com a implantação total da digitalização, esse prazo caiu para 118 dias. Uma decisão final demorava 2.800 dias, em média, e agora, são 433 dias, informa Rodrigo Santos. As soluções da empresa de SC também liberaram cerca de 12 mil profissionais que passaram a atuar em outras funções nos tribunais, no apoio a juízes. Além disso, uma análise do TJSP apontou que não será necessário contratar mais trabalhadores de apoio por 20 anos.

Outra novidade da Softplan é um sistema de inteligência artificial que acelera o trabalho de juízes na elaboração de petições.

- Temos um dos três maiores laboratórios de inteligência artificial do Brasil. Nossa equipe tem doutores e mestres em Direito trabalhando nessa área – diz Rodrigo Santos.

Segundo ele, esse sistema pesquisa as decisões anteriores de cada juiz sobre determinadas causas e ajuda a elaborar a nova petição com base nessas decisões. É um sistema único no mundo que acelera muito o trabalho do judiciário, observa ele. A Softplan está negociando essa tecnologia com países como Argentina, Colômbia, Espanha e Portugal.

A digitalização também muda a vida de juízes. Muitos não estão mais tendo que morar em cidades do interior para atender comarcas mais distantes. Eles trabalham à distância, nas cidades, e só vão para o interior um dia ou dois da semana. Mato Grosso e Alagoas aderiram a essa solução. As soluções ajudam também governos estaduais e prefeituras a acelerar cobrança de impostos atrasados. Esses avanços tecnológicos indicam que o Tribunal de Justiça de SC talvez não necessite fazer as mais de 400 contratações aprovadas pela Assembleia. É um dos tribunais do país que usam apenas parcialmente as soluções de TI da Softplan. Com uma digitalização total, ao invés de contratar mais pessoas poderia destinar os recursos para outros serviços à sociedade.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação