nsc
    nsc

    Economia

    Varejo em menor ritmo 

    Compartilhe

    Estela
    Por Estela Benetti
    14/09/2018 - 04h00 - Atualizada em: 14/09/2018 - 17h33
    Varejo
    (Foto: )

    O comércio catarinense tem crescido mais do que a média nacional, mas nos últimos quatro meses, devido à greve dos transportes, dúvida sobre o futuro político do país e a sazonalidade, tem registrado um ritmo menor. A pesquisa mensal do comércio de julho, do IBGE, apurou que o setor cresceu 3% frente ao mesmo mês do ano passado, 0,8% frente ao mês imediatamente anterior (junho) e 8,6% no acumulado do ano. Apesar dos números positivos, o crescimento frente aos mesmos meses do ano passado registra média menor. Até março, avançou com variações positivas de dois dígitos a mais do que os mesmos meses do ano anterior. Em abril, nessa mesma comparação, teve alta de 5,1%, em maio 6,1%, em junho 6,9% e em julho ficou em apenas 3%.

    Neste último mês frente ao mesmo período de 2017, registrou a maior alta em veículos, 10,4%, e a maior queda em eletrodomésticos, -13%.

    Em julho, o varejo brasileiro teve queda de -1% frente ao mesmo mês de 2017, de -0,5% em relação ao mês anterior e no ano, de janeiro a julho na comparação com os mesmos peses do ano passado, subiu 2,3%.

    Peso nas contas

    Em entrevista na sede da Acif, na última quinta (13), promovida pela Acaert, o governador Eduardo Moreira voltou a falar que, nas contas do Estado, o déficit que mais preocupa é o da previdência, com um buraco de R$ 3,6 bilhões este ano e o mesmo no ano que vem. Mas se a reforma previdenciária que está no Congresso fosse aprovada este ano, como propõe o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, pouco mudaria em SC porque aqui a contribuição do servidor já subiu de 11% para 14% ao mês. A nova idade mínima ajudaria no médio prazo. 

    Leia também:

    Vendas de imóveis aumentam em Joinville

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas