nsc

publicidade

Faraco

Demissão

A queda de Joceli dos Santos no Avaí

Compartilhe

Por Faraco
13/08/2019 - 23h12 - Atualizada em: 14/08/2019 - 10h15
Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC
Foto: André Palma Ribeiro/Avaí FC

Difícil não relacionar a queda do diretor de futebol do Avaí, Joceli dos Santos, com uma pressão forte que vinha de fora pra dentro na Ressacada. Difícil também não relacionar à má campanha no Brasileirão. De fora pra dentro, houve até manifestação pública de torcida organizada pedindo a cabeça do diretor. Aliás, o termo era “exigência”. A saída dele serve, de alguma forma, para aliviar algumas tensões das pressões todas que a diretoria deve estar sentindo pelo momento de crise dentro de campo. É a tal história que alguém sempre acaba pagando o preço. Mas aí é que está a outra questão que precisa ser analisada. Joceli era parte integrante do departamento de futebol. Tem sua responsabilidade, por contratações feitas e não feitas, tem sua responsabilidade em erros, assim como tinha méritos em acertos que existiram na passagem dele desde 2016, no futebol do clube.

Não era “o problema”

Não há como aceitar que “seus problemas acabaram” porque Joceli foi mandando embora. Não é e não era o único responsável pelo futebol do Avaí em 2019. Neste ponto, vale destacar que o time deste ano tem marca registrada de alguns outros profissionais, como Evando, Geninho, Marquinhos e até mesmo o presidente Francisco Battistotti, sempre muito personalista. Também é importante lembrar que Joceli foi um dos suportes do próprio presidente lá atrás, em 2016, como homem de confiança quando todas as pressões contrárias existiram para que o atual mandatário do clube assumisse o cargo.

O diretor de futebol sai com dois acessos à Série A e um título estadual, também com um rebaixamento. Acrescento que sempre cobrei um Joceli mais atuante. Principalmente nos momentos de crise, poderia ter vindo pra linha de frente para conversar com a imprensa e a torcida. De qualquer forma, sempre respeitei bastante pela identificação histórica com o clube. Sabia que havia alguém no departamento de futebol que iria zelar pelo Avaí. A direção preferiu apenas comunicar o desligamento do profissional, sem explicar os motivos, o que torna ainda maior o leque de especulações. O que poderia ser evitado também.

Ouça o comentário na CBN:

Deixe seu comentário:

publicidade