nsc
nsc

publicidade

Alívio alvinegro

Aliviado e emocionado, Rafa Marques resumiu a agonia alvinegra de 2019

Compartilhe

Faraco
Por Faraco
13/11/2019 - 19h14 - Atualizada em: 14/11/2019 - 08h37
Camisa 9 é um dos líderes do grupo alvinegro ( Foto: Patrick Floriani/FFC )
Camisa 9 é um dos líderes do grupo alvinegro ( Foto: Patrick Floriani/FFC )

O Figueirense ainda tem três jogos pela frente para garantir a condição atual, que é estar fora da zona de rebaixamento da Série B. Mas a vitória sobre a Ponte Preta foi passo importante para que isso seja realidade ao final da competição.

Era algo muito difícil de se imaginar até pouco tempo. Com o auge da crise, representada no WO do jogo contra o Cuiabá, o Figueirense parecia sem rumo e a Série C era cada vez mais uma realidade. Até mesmo a ruptura com a empresa Elephant deixava dúvidas sobre o futuro.

Só que houve uma união. Torcedores, sócios, conselheiros, empresários alvinegros, começaram a trabalhar juntos para resgatar o clube e tentar salvar do rebaixamento. Os salários passaram a ser pagos, com muito trabalho e a custo de muita união e doação. O agora presidente Francisco de Assis lidera o processo com coragem e firmeza.

Ouça o comentário do Jornal da CBN desta sexta-feira (14):

O sentimento de todos esteve nas palavras do atacante Rafael Marques logo após a vitória sobre a Ponte Preta, na terça. Em entrevista exclusiva ao repórter Janniter de Cordes, da CBN Diário, ainda na saída de campo, Rafa Marques disse algumas verdades. “A incompetência de uma má pessoa, mau caráter, atrapalhou praticamente o sonho de todos aqui, que era de estar voltando a Série A. Levar o Figueirense ao lugar merecido”. Estava se referindo ao dono da Elephant, Claudio Honigman, o homem que quase levou o Figueirense para o buraco.

“Hoje a gente vê o esforço das pessoas que estão ali, dos conselheiros, mas o que a gente passou ali foi desumano. E hoje a gente conseguir tirar o time da zona de rebaixamento. Não tem como não se emocionar”. Importante registrar que quando a Elephant, de Honigman, foi tirada do clube, o Figueirense não só estava na zona de rebaixamento, como era o lanterna da competição.

Se tudo der certo, e o Furacão realmente escapar do rebaixamento, vai ser uma história forte de superação de um clube que foi praticamente destruído por gente que só queria se servir do Figueirense, sem ligar para sua história, para sua expressão e para a sua torcida.

Faltam três jogos, mas um horizonte se abriu. O Figueirense tem ótimas chances de fica na Série B, que é o cenário mínimo para ter dinheiro e possibilidades de se reconstruir de verdade. Por enquanto, ainda está em campo o pelotão de emergência. Gente que está fazendo muito para salvar um gigante do futebol catarinense. Essa gente merece respaldo e reconhecimento. E que bom que nos jogos o time tenha um Rafael Marques para liderar, fazer gols, e defender essa história.

Deixe seu comentário:

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Últimas do colunista

Loading interface...
Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

publicidade

publicidade

Mais colunistas

    publicidade

    publicidade

    Mais colunistas