publicidade

Navegue por
Faraco

Copa do Brasil

Avaí deixa o confronto com o Vasco em aberto

Compartilhe

Por Faraco
15/03/2019 - 08h20 - Atualizada em: 15/03/2019 - 08h18
Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br
Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br

Poderia ter sido melhor, mas a primeira missão do Avaí no confronto com o Vasco foi cumprida. Era trazer o confronto aberto para a segunda partida, na Ressacada. Dá pra fazer a classificação em casa. Mesmo que para uma passagem sem pênaltis seja necessário fazer dois gols de diferença. O jogo do Rio mostrou isso. É jogo igual e bem aberto. O Avaí tem qualidade para superar o Vasco, que está longe de ser um time com alguma qualidade diferenciada. Agora há tempo suficiente para arrumar a melhor escalação e a melhor estratégia de jogo para o dia 10 de Abril. O torcedor avaiano vai ser fundamental, tendo a missão de encher a Ressacada para empurrar a equipe.

Momentos distintos

O Avaí começou muito bem. Surpreendeu o Vasco com uma marcação adiantada e provocando erros do adversário no campo de ataque, o que dava ao Avaí uma roubada de bola com espaços para chegar. E chegou mesmo. Abriu o placar aos 10 minutos e teve dois contra-ataques claros para fazer o segundo gol até os 25 minutos do primeiro tempo. Não soube aproveitar com João Paulo uma delas e com Alex Silva outra. A partir daí o Vasco se jogou ao ataque e encurralou o Avaí.

Marcação se confundiu com movimentação do Vasco

A pressão do Vasco se deu por alguns motivos. Os ponteiros, Pikachu e Marrony vinham para dentro, trabalhar como meias e puxavam a marcação dos laterais do Leão. Alex Silva e Iury acompanhavam e abriam os corredores do lado do campo para os laterais adversários, Danilo e Raul Cáceres. Ao mesmo tempo, Getúlio e João Paulo não barravam a subida deles. Principalmente Getúlio, que deu muita liberdade para Cáceres. A pressão foi enorme e o gol de empate até demorou a sair. Saiu numa bola parada com desvio, num azar para o goleiro Gledson, mas poderia ter saído numa bola na trave de Pikachu, que ocorreu um pouco antes.

Início do segundo tempo não foi bom

O Avaí foi um pouco apático no início do segundo tempo. Dando a bola para o Vasco a todo momento. Mesmo quando poderia sair jogando preferia os chutões. O time da colina ficou em cima o tempo inteiro. Fez o segundo e fez o terceiro na pressão e nos erros da defesa avaiana, que aconteceram. O time se expõe a estes erros com este tipo de postura.

Demorou nas mexidas

Quando era necessário mexer para dar posse de bola ao time, Geninho colocou marcação para não tomar o terceiro gol, o Avaí quase a seguir tomou este gol. O ‘’time’’ de Geninho estava errado. Era hora de colocar meias, o que ele fez depois de tomar o terceiro gol. A reação veio com as entradas de Luanzinho e fundamentalmente André Moritz, que chamou o jogo e a responsabilidade. Ele fez o gol e fez a diferença apara reação tardia. O gol do camisa 30 faz toda a diferença pro jogo de volta.

Abaixo da média

Os laterais sofreram bastante e não tiveram boa atuação. Iury foi muito mal, no apoio e na marcação. Alex Silva foi displicente e errou lances que comprometeram. Além deles, Daniel Amorim foi peça nula no ataque. Sequer segurou a bola, que era um dos papéis dele em campo, para dar tempo do time respirar e se aproximar do ataque. Outro que não passou segurança foi o goleiro Gledson, que mostrou deficiências nas saídas pelo alto e falhou no terceiro gol do Vasco.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação