nsc
    nsc

    Estadual x Brasileiro

    Avaí e Figueirense – prioridade tem que ser o Brasileiro

    Compartilhe

    Faraco
    Por Faraco
    02/04/2020 - 17h02
    Avaí e Figueirense jogam a Série B este ano. (Foto: reprodução)
    Avaí e Figueirense jogam a Série B este ano. (Foto: reprodução)

    Em recentes entrevistas ao Debate Diário, os presidentes de Avaí e Figueirense, foram confrontados com o dilema de, no futuro, terem que escolher entre dar prioridade de datas para terminar o Campeonato Catarinense como ele é ou abrir mais espaço e agenda para manter o Brasileiro da Série B com o formato tradicional de pontos corridos e 38 rodadas. Os dois, Amaro Lúcio da Silva, do Avaí, e Norton Boppré, do Figueirense, deram respostas que vão no mesmo caminho: a prioridade é o Brasileiro.

    Não se trata de desprezar o Estadual. Mas ele pode ser resolvido de modo mais prático. Faltam seis datas, que, no final das contas, podem ser apenas três, com jogos únicos em vez de ida e volta nas três fases que restam para definir o campeão.

    E na balança esportiva e econômica, o estadual perde feio para o Brasileirão. A prioridade precisa ser, por questão de sobrevivência, a Série B.

    Financeiramente, o Brasileiro rende, só de largada, pela cota de televisão, R$ 7 milhões. O estadual tem uma cota de R$ 650 mil para cada um dos cinco grandes do estado.

    E esportivamente, apesar do estadual ser um campeonato para título e hegemonia estadual, o Brasileiro da B, além de ter o desafio de conquista para os Catarinenses – Avaí, Chapecoense e Figueirense – tem também a grande projeção do acesso à Série A, que, bem aproveitada, transforma o clube e suas possibilidades esportivas e financeiras. Hoje, a cota de Série A para os pequenos chega aos R$ 40 milhões.

    Portanto, mesmo que o estadual tenha o seu valor histórico, não há como, na posição dos presidentes, grandes responsáveis por seus clubes e pelos caminhos que vão seguir, não optar por dar peso maior e prioridade para o Brasileiro.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas