publicidade

Faraco

Série B

Figueirense e a incômoda metade da tabela

Compartilhe

Por Faraco
10/08/2019 - 08h30 - Atualizada em: 10/08/2019 - 08h26
Foto: Patrick Floriani/FFC
Foto: Patrick Floriani/FFC

O Figueirense perdeu espaço na tabela da Série B. Está na hora de voltar a ganhar e subir algumas posições. O time sempre esteve próximo dos líderes e, em algumas partidas, se vencesse, entraria no G-4. O que se percebe nos últimos cinco jogos, quatro empates e um derrota, foi um distanciamento perigoso. O Figueirense sempre projetou, com Hemerson Maria era assim, estar numa faixa de classificação que, no mínimo, fosse próxima dos líderes. Este tem que ser o foco: estar sempre, pelo menos, a uma rodada da turma do G-4.

A única vitória depois da Copa América foi aquela excelente goleada sobre o América-MG. De lá pra cá, o time oscilou, deixando escapar vitórias que poderiam fazer diferença agora. Teve, é verdade, o fator extracampo, que inegavelmente atrapalhou bastante e ainda precisa ser equacionado e resolvido, e teve também, em alguns jogos, erros de arbitragem que prejudicaram, como contra Criciúma e Vila Nova. Mas as questões da arbitragem fazem parte do jogo. Numa conta normal, o time ganha e perde pontos com as decisões dos árbitros. A questão é o Figueirense voltar a vencer. Está na hora.

Erros administrativos das duas partes levaram ao novo acordo

Acrescentando a tudo que tenho publicado sobre bastidores neste momento turbulento, posso afirmar que depois do período de 60 dias da notificação feita pelo Conselho Administrativo à empresa, depois da resposta e de uma tréplica do Conselho e de muitas discussões em escritórios de advocacia, as duas partes entenderam que havia erros graves dos dois lados desde a implementação da empresa, em agosto de 2017.

Também se chegou, ao mesmo tempo, à conclusão que um briga jurídica seria um caminho muito incerto e caro para os dois lados, e que poderia travar ainda mais e prejudicar o clube. Por isso veio o acordo, firmado no dia 29 de julho, um dia antes da partida contra o Vitória, em que o Figueirense correu o risco de tomar um WO. Uma ruptura esteve muito próxima, principalmente depois do jogo do Heriberto Hülse.

Mas a questão jurídica foi a que mais pesou para um novo acordo. Os erros constatados e que acabaram amarrando a própria Associação Figueirense no processo foram burocráticos, questões que precisam ser colocadas em prática pelo clube e pela empresa e não foram realizados. O novo documento firmado entre as partes serviu para evitar uma briga jurídica e paralisação do clube, e deixa claro o que precisa ser feito, por quem e em que prazo. Está tudo muito mais claro,com responsabilidades e prazos dos dois lados deste acordo.

Deixe seu comentário:

publicidade