nsc

publicidade

Desempenho

Figueirense não repete atuação e empate acaba sendo bom

Compartilhe

Faraco
Por Faraco
15/10/2019 - 23h06 - Atualizada em: 16/10/2019 - 09h47
Tony foi muito mal nas saídas de bola e caiu de rendimento. Foto: Gustavo Oliveira/LEC
Tony foi muito mal nas saídas de bola e caiu de rendimento. Foto: Gustavo Oliveira/LEC

O jogo não foi bom em Londrina. O Figueirense não conseguiu repetir a boa atuação do último sábado, principalmente no primeiro tempo, e o resultado acabou sendo positivo. Mesmo que a grande chance da partida tenha sido do Figueirense, com Felipe Matheus, no segundo tempo. Duas vezes em cima do zagueiro Lucas Costa. Depois disso, com a expulsão de Patrick, o Furacão se segurou na defesa para garantir o 0 a 0. Mas o time havia feito um primeiro tempo muito ruim, com erros de saída de bola e oferecendo ao Londrina algumas chances de gol.

O atacante Matheuzinho deu bastante trabalho com pelo menos três finalizações. O segundo tempo foi mais equilibrado, com a entrada de Betinho, o meio passou a dar mais proteção para a defesa, e tendo mais qualidade na saída de bola. Tony não esteve bem durante toda a primeira etapa, errando muito e comprometendo bastante a organização da equipe. No final das contas, o empate até foi um resultado positivo. Dá pra considerar como ponto somado. Não foi uma noite inspirada do Figueirense.

Tony definitivamente vai perder a vaga no meio

Já faz algum tempo que Tony não vem jogando bem. Foi o jogador que mais caiu de produção depois de toda a turbulência administrativa no Figueirense. É bom lembrar que ele começou muito bem a Série B, fazendo boas atuações e comandando o meio de campo da equipe. Mas desde que o time perdeu muitos treinamentos com as greves, o que parece é que Tony perdeu demais fisicamente, fazendo cair também o futebol dele dentro de campo.

Já é um atleta leve, que não tem na parte física o principal aspecto do seu futebol. Tony é um passador, um articulador, só que o primeiro tempo em Londrina foi muito ruim. Tony errou demais as saídas, perdeu as disputas nos trancos no meio e por pouco não influenciou o resultado. Pra sequência dos jogos o Figueirense deveria apostar em uma dupla de volantes com Patrick e Betinho.

Pintado e Márcio Coelho

O treinador que chegou, Pintado, foi muito feliz na entrevista concedida ao repórter Kadu Reis quando falou do trabalho do técnico Márcio Coelho, o técnico interino do Figueirense. O novo treinador deixou clara a possibilidade de aproveitar Gugu como auxiliar. E no final da partida, o mesmo Gugu, também deixou a porta aberta pra isso. Acredito que possa ser o caminho mais correto. Márcio Coelho é ótimo profissional. Mexeu bem no time mais uma vez em Londrina. Pode ajudar bastante na sequência. O melhor seria Pintado trabalhar diretamente com Márcio Coelho como auxiliar. Afinal, ele conhece bem melhor o grupo de jogadores do que Pintado vai conhecer.

Ouça o comentário na CBN:

Deixe seu comentário:

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

Rodrigo Faraco

Colunista

Faraco

Jornalista e comentarista esportivo, sempre atento ao que acontece especialmente no futebol catarinense, faz análises e bastidores dos times do Estado.

siga Faraco

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade