nsc
    nsc

    Evolução

    Figueirense: paralisação quebrou sequência de crescimento do trabalho de Márcio Coelho

    Compartilhe

    Faraco
    Por Faraco
    08/04/2020 - 15h13
    Márcio Coelho demonstrou preocupação com a quebra na temporada(Foto: Patrick Floriani/FFC)
    Márcio Coelho demonstrou preocupação com a quebra na temporada(Foto: Patrick Floriani/FFC)

    O sentimento da afirmativa deste post é do próprio Márcio Coelho. O técnico do Figueirense revelou no Debate Diário desta quarta estar preocupado com o período de paralisação do futebol, que todos foram forçados neste momento.

    A paralisação gera incertezas citadas e avaliadas por ele na conversa: manutenção da forma física dos atletas, retomada, indefinições para o Brasileiro, contrato dos atletas e até possíveis perdas no grupo.

    É difícil para ele, também porque Coelho vinha conseguindo fazer a equipe produzir mais em campo, num trabalho quase totalmente novo e que ainda está no início no clube.

    É realidade. Depois da derrota no clássico, dentro do Orlando Scarpelli, o Figueirense conseguiu evoluir e fazer partidas mais consistentes com resultados que chamaram atenção.

    Em um bate-papo que durou o programa inteiro, Márcio, numa avaliação do que foi realizado até aqui, fez questão de ressaltar a importância da partida contra o Novorizontino, pela Copa do Brasil. Citou as pressões envolvidas e como o time respondeu em campo.

    Foi mesmo uma boa reação naquele momento da temporada. Uma eliminação seria péssima em todos os aspectos – para ele, Márcio Coelho, para o time e para o clube, que tinha, como ainda tem, as questões financeiras como grande obstáculo para 2020.

    Mas avalio o jogo contra o Fluminense como a melhor atuação do Figueirense no ano. Uma atuação forte, contra um adversário mais forte e com um resultado muito importante.

    Márcio falou sobre tudo no Debate, com a clareza, a simplicidade e a ponderação de alguém que já demonstra no dia a dia alguma leveza para encarar as dificuldades.

    Fez questão de agradecer o grupo de trabalho, formado pelo coordenador de futebol Felipe Gil, o analista de desempenho Enory Martins e o auxiliar Raul Cabral. Este grupo vem desenvolvendo o futebol do Figueirense na temporada junto com o técnico.

    O trabalho de início de ano é bom e merece respaldo.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas