publicidade

Faraco

Greve

Mais um dia sem trabalho no Figueirense

Compartilhe

Por Faraco
17/07/2019 - 07h35 - Atualizada em: 17/07/2019 - 09h22

O Figueirense conseguiu, através da CBF, antecipar uma cota de televisão das que tem direito pela transmissão do Campeonato Brasileiro da Série B. A informação foi divulgada na segunda-feira (16) à noite pelo presidente da FCF, Rubens Angelotti, no programa Estádio CBN Diário. O dinheiro serviu para pagar aos atletas os 65% que faltavam dos salários de maio 2019.

Acontece que ainda há atrasos e os atletas, em conjunto com a comissão técnica e em solidariedade com os funcionários do clube e com os garotos da base, mantiveram a manifestação e não treinaram mais uma vez na segunda. Uma manifestação legítima de profissionais que têm cumprido sua parte dentro do clube.

Há uma série de reivindicações, além da exigência da presença do presidente da empresa que comanda o futebol do Figueirense no CFT para uma conversa com os atletas. Uma situação em certamente envergonha os torcedores e que escancara a falta de gestão dos últimos tempos no clube.

já foi exemplo

O Figueirense, que já foi exemplo nacional no início dos anos 2000, que era referência estadual neste mesmo período, vem retrocedendo ano a ano. Está numa situação administrativa e econômica que é, no mínimo, lamentável.

STJD acata denúncia e dá prazo ao Figueira

Ao contrário do que era voz corrente entre os juristas do direito esportivo, o STJD aceitou a denúncia feita pelo Ministério Público do Trabalho em Santa Catarina e deu prazo de 15 dias ao Figueirense para providências. Em seu despacho, o subprocurador geral do STJD, Glauber Navega, escreveu que “seja intimado o Figueirense para que no prazo de 15 dias corridos cumpra o disposto na norma, se manifeste sobre o adimplemento dos valores reivindicador pela Noticiante com a devida atualização monetária ou, caso entenda controverso os valores, que efetue o pagamento do que entender devido, desde que comprove o adimplemento dos demais valores”.

O entendimento dos juristas é de que a denuncia não poderia ter sido feita pelo MPT-SC e que este tipo de ação só caberia aos jogadores e aos sindicatos que os representam. Pode haver, portanto, nulidade do processo na origem. De qualquer forma, o clube está oficialmente intimado. É melhor que tome providências e não corra o risco. É importante ressaltar que o problema existe e está muito claro com os atrasos e a manifestação do MPT-SC.

Deixe seu comentário:

publicidade