publicidade

Navegue por
Lisandra

Estudantes de Jaraguá do Sul apresentam projeto em feira na Espanha

Compartilhe

Por Lisandra Oliveira
18/03/2019 - 13h48 - Atualizada em: 19/03/2019 - 14h57
Patrick Titz/PMJS/Estudantes desenvolveram uma bala com propriedades que ajudam no combate à abstinência para quem deseja parar de fumar
Patrick Titz/PMJS/Estudantes desenvolveram uma bala com propriedades que ajudam no combate à abstinência para quem deseja parar de fumar

O projeto começou em sala de aula foi parar na Espanha. A iniciativa foi das alunas Leticia Luisa Braun e Scheila Aparecida Straub de Souza, do 8º ano, da Escola Luiz Gonzaga Ayroso. O projeto de iniciação científica desenvolvido por elas se destacou entre os 36 realizados, no contraturno do ensino integral. Elas trabalharam na produção de uma bala com propriedades que podem auxiliar no combate aos efeitos da abstinência para quem deseja parar de fumar. O projeto recebeu credencial para participar do Movimento Científico e Tecnológico da Escola Açaí, que ocorreu em Abaetetuba, no Pará, em dezembro passado. E lá, ganhou a credencial para participar da Exporecerca Jove, uma feira internacional de Ciências, que aconteceu neste mês em Barcelona, na Espanha.

O professor Jean Mary Facchini, que foi orientador das alunas, explica que o projeto brasileiro foi o único de ensino fundamental entre os mais de 20 projetos internacionais de vários países, que foram apresentados.

Leticia e Scheila não receberam colocação de destaque na feira da Espanha, mas puderam observar olhos admirados da banca avaliadora. “Acabamos escutando dos avaliadores um comentário que nos deixou felizes e tristes ao mesmo tempo: ‘Surpreendente que esse trabalho seja do Brasil’”, comentou o professor Jean. Ele explicou que ao mesmo tempo em que esse comentário foi recebido como um elogio, também foi visto como um descrédito de que o Brasil é capaz de produzir ciência.

O projeto da bala antitabagismo está em fase de avaliação e pesquisa em parceria com faculdades. Caso comprovado os efeitos, o trabalho tem chance de ser patenteado e as balas poderão ser comercializadas. “Já tivemos até pedidos de encomenda, mas ainda não podemos vender nem comprovar nada sem as pesquisas”, adiantou o professor Jean, que neste ano já tem viagem marcada para fora do Brasil com outros alunos e outro projeto de iniciação científica do Jaraguá 84. Será a participação em uma feira no México, no mês de maio.

Deixe seu comentário:

Lisandra Oliveira

Lisandra Oliveira

Lisandra Oliveira

Lisandra mostra os bons exemplos de Joinville e região. As pessoas que se dedicam a melhorar o local onde vivem, que inspiram com ações que fazem a diferença na nossa comunidade.

lisandra.oliveira@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação