nsc

publicidade

Loetz

Negócios

Chineses desembarcam em SC para negociar

Compartilhe

Por Loetz
21/06/2019 - 07h00 - Atualizada em: 21/06/2019 - 09h15
Seminário acontece na Capital (Foto: Divulgação)

As relações comerciais e os negócios entre empresas catarinenses e da China serão tratadas durante o 3º Seminário Brasil/China, marcado para acontecer no dia 25, terça-feira, em Florianópolis. Multinacionais chinesas de setores estratégicos para o desenvolvimento do Estado de Santa Catarina vão apresentar suas expertises e mostrar o interesse de como poderão participar da expansão da economia estadual. Executivos da XCMG Construction Machinery; Power China; China Railway; Duhma Tecnology e BNBM Group já confirmaram presença.

Variados temas estarão na pauta dos encontros. Destaque para negociações em torno de fatores como tecnologia, big data, segurança, construção civil, infraestrutura, agrobusiness e sistema financeiro. Nos cinco primeiros meses este ano as importações catarinenses da China representaram mais de um terço do volume total: 35%.

Isso coloca a China como principal parceiro econômico do Estado. No caso das exportações, as de mercadorias produzidas no Estado e vendidas para o país asiático representavam 12,6% do conjunto; percentual atrás apenas das compras feitas no mercado norte-americano, que participa com 14,6% do bolo.

Fórum de benefícios

Auditores das secretarias da Fazenda dos Estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul discutiram os benefícios fiscais dos Estados do Sul, em reunião realizada na capital catarinense. O objetivo foi a criação do fórum de benefícios dos Estados do Sul, com a apresentação dos incentivos concedidos e os respectivos impactos na economia dos três locais. Temas abordados foram a agroindústria, especificamente a indústria leiteira, o processo produtivo básico; e produtos de informática e automação.

Em ebulição

Novos empreendimentos das áreas de comércio e serviços vão movimentar São Francisco do Sul. No segmento bancário, a Sicred está construindo um prédio em Ubatuba, perto da entrada da Petrobras. A área de gastronomia ganha restaurante Zinho Batista, aportando na Enseada. E começaram as obras do Komprão, supermercado do grupo Atacadista Koch, na rodovia perto da entrada para as praias. 

Aceno

Periodicamente, executivos da General Motors (inclusive norte-americanos) se reúnem em Joinville. Liderança local da companhia pediu informações ao presidente da Escola Teatro Bolshoi do Brasil, Valdir Steglich, sobre a possibilidade de haver apresentação de alunos dentro da empresa. As conversas vão seguir. Há aceno para um possível patrocínio da montadora à escola. 

Mercado 

A FG Empreendimentos, que celebra seus 15 anos de negócios no mercado da construção civil, está investindo R$ 750 milhões em Balneário Camboriú e região. A construtora e incorporadora está com 11 obras em andamento, que equivalem a mais de 900 apartamentos, destes, 500 serão entregues neste ano.

Terraplenagem 

Começaram obras de terraplenagem do Fort Atacadista, em São Bento do Sul. A loja deverá ser construída ao lado do Sesc. Mas há uma ação judicial contra a Prefeitura pedindo para que a construção seja proibida pela Justiça.

Leia outras colunas de Claudio Loetz

Prazo

Em reunião da comissão de Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa e representantes de 20 entidades empresariais, a iniciativa privada alertou que até 31 de julho os deputados precisarão analisar e votar o projeto de lei que trata dos incentivos fiscais concedidos a diferentes segmentos da economia catarinense. O projeto segue as determinações do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que estabeleceu até o fim de julho a homologação legislativa de todos os convênios de benefício fiscal concedidos pelos Estados e pelo Distrito Federal.

Logística aeroportuária

Enquanto a privatização do aeroporto de Joinville não acontece – está prevista para o próximo ano – se espera pelas obras de complexo logístico no aeroporto. Licitação foi ganha, no ano passado, pelo consórcio Ponta Negra em Soluções Logísticas e Transportes Ltda., de Manaus, e a Porto Seco do Triângulo Ltda., com sede em Uberaba (MG). O terminal de logística de carga (Teca) do aeroporto Lauro Carneiro de Loyola, prevê investimentos de R$ 19,8 milhões e está na fase de elaboração de projetos. Então, obras, mesmo, só no próximo ano. A empresa vencedora da concorrência tem o direito de explorar o empreendimento pelo prazo de 25 anos (300 meses).

Plano viário

Arquiteto e urbanista manda e-mail para comentar a nota de abertura da coluna desta quinta-feira (20) sobre a intenção do presidente do Conselho da Cidade vir a encaminhar a revisão do plano viário do município. “Depois de tantas leis que, já em vigor, prejudicam a mobilidade (faixas viárias, uso condicionado) projetos de lei que visam prejudicar em muito mais (PLC/21 e PLC 33/19), isso que colocou em manchete é mais uma pirotecnia ufana.”

Falta água

Nos últimos quatro anos o empresário Izaltino Odorizzi, da Imobiliária Casa Nova, investiu R$ 48 milhões em obras de infraestrutura em loteamento industrial no bairro Paranaguamirim, mas a Cia. Águas de Joinville ainda não fornece água para o local do empreendimento. Promete ligar a rede em setembro. O terreno tem 1,4 milhão de m² e o projeto prevê 295 lotes empresariais, com área de 2.500 m², cada um, destinados a micro e pequenas empresas. Izaltino diz estar arrependido de ter feito o investimento.

Assine o NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais do DC, AN e Santa e aproveitar os descontos do Clube NSC. Acesse assinensc.com.br e faça sua assinatura.

Deixe seu comentário:

Cláudio Loetz

Loetz

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

claudio.loetz@somosnsc.com.br

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade