Navegue por

publicidade

Loetz

Mercado

Empresa gaúcha compra fabricante de discos de freio Jofund/Fremax

Compartilhe

Por Loetz
10/08/2018 - 05h05 - Atualizada em: 10/08/2018 - 05h03

GAÚCHA FRAS-LE COMPRA A JOFUND

 

O Grupo Randon, por meio da Fras-le, comprou a Jofund/Fremax, dona da marca Fremax, de Joinville, por R$ 180 milhões. A Fras-le é um dos maiores fabricantes globais de materiais de fricção.

Concluindo-se a aquisição após o cumprimento de condições legais, a companhia adicionará 2.500 referências ao seu já diversificado portfólio, garantindo sua posição de liderança no segmento no Brasil e reforçando o catálogo de produtos para oferta global. A conclusão da transação está condicionada à prévia aprovação por autoridades concorrenciais – o Cade – e, ainda, à prévia aprovação dos acionistas da Fras-le, em assembleia geral extraordinária a ser agendada.

Reconhecida nas Américas e na Europa, a Jofund/Fremax é uma tradicional fabricante de discos e tambores de freio leves voltados aos segmentos de reposição e montadoras. Parte relevante do seu faturamento é destinado ao mercado externo. A empresa conta com centros de distribuição na Argentina e na Europa, emprega 580 funcionários e faturou R$ 188 milhões no ano passado. Portanto, o valor da aquisição é semelhante ao do faturamento do negócio adquirido em 2017.

O presidente da Jofund/Fremax, Carlos André Birckholz, continua à frente da empresa baseada em Joinville.  Explica que o namoro com a Fras-le já acontecia há mais de ano e as negociações se intensificaram no último semestre. 

– A empresa está saudável, com bons resultados e era desejo dos acionistas inseri-la num grupo maior.

 

Marca premmium 

Com atuação global, sedes no Brasil, Holanda e Argentina e um portfólio de mais de 2.500 referências que atendem a mais de 100 mil aplicações, a Fremax é reconhecida pela produção e comercialização de discos e tambores de freio, pastilhas de freio e cubos de roda. Conta com as certificações internacionais necessárias para atender com precisão e rapidez às demandas de clientes do mercado de equipamento original e reposição. Mundialmente reconhecida, a qualidade de seus produtos é aprovada como premium em função da segurança, durabilidade, performance e acabamento em todos os detalhes. Estes atributos fazem da Fremax a fornecedora oficial e a escolha segura para garantir a segurança das principais categorias de automobilismo sul-americano.

 

Muitas aquisições

– Esta aquisição nos cria condições muito favoráveis para prosseguirmos em nossa trajetória de crescimento – afirma o CEO da Fras-le, Sérgio L. de Carvalho.

O executivo ainda destaca a significativa sinergia entre os negócios de discos de freio e pastilhas, o que permitirá ampliação da oferta de produtos e melhor atendimento às necessidades do mercado.

Em 2017, a Fras-le efetivou importantes aquisições e associações envolvendo três empresas da Argentina e do Uruguai. Na Índia, criou a ASK Fras-le Friction para fornecimento aos mercados da Índia, Bangladesh, Nepal e Sri Lanka. Também duplicou a unidade fabril da China e instalou um escritório de vendas e um centro de distribuição na Colômbia. 

Ao mesmo tempo, assumiu o controle da Jurid do Brasil, em Sorocaba (SP), focada na fabricação e distribuição de produtos de freio para veículos leves.

 

Presença global

Com fábricas no Brasil, Estados Unidos, China, Argentina, Uruguai e Índia, centros de distribuição na Argentina, Alemanha, Estados Unidos e Colômbia e operações comerciais no Chile, México, Emirados Árabes e África do Sul, a Fras-le possui capacidade produtiva e estrutura comercial capaz de atender às demandas internacionais de maneira rápida e eficiente. Seu portfólio é composto por mais de 14 mil itens. A Fras-le vende seus produtos em 127 países.

 

Poder

Joinville retorna ao poder na importante Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) com a posse, nesta sexta-feira, do engenheiro Mario Cezar de Aguiar na presidência da entidade de representação dos interesses dos industriais catarinenses. O último presidente da Fiesc que era de Joinville foi Osvaldo Moreira Douat. Desde então, o comando da federação passou por Blumenau e Florianópolis. Infraestrutura, educação e competitividade serão os  três principais fatores de sua atuação ao longo do mandato.

 

Indústria cresce

A produção industrial catarinense fechou o semestre com alta de 3,9% em relação ao mesmo período em 2017, mostram dados do IBGE. O resultado, acima da média brasileira – que foi de de 2,3% –, posiciona a indústria de transformação catarinense no quarto lugar no ranking de desempenho entre os Estados. Na comparação com maio de 2018, o avanço foi de 16,8% e no comparativo com o mesmo mês do ano anterior, a alta foi de 3,5%. A tabela mostra a evolução das atividades, por setor.

 

Desempenho da produção industrial – período de janeiro-junho de 2017 a janeiro-junho de 2018

Metalurgia: + 26,6.

Produtos de metal: + 14,9.

Produtos têxteis: + 9,1.

Vestuário e acessórios: + 5,2.

Produtos minerais não metálicos: + 3,6.

Produtos de madeira: + 3,3.

Produtos de borracha e material plástico: + 1.

Celulose, papel e produtos de papel: + 0,6.

Veículos automotores: + 0,1.

Máquinas, aparelhos e materiais elétricos: 0.

Máquinas e equipamentos: - 5,6.

Fonte: IBGE/Fiesc 

 

Chamada pública para gás (foto divulgação; Nica Id: 13685827)

A SCGás promoverá chamada pública para aquisição de gás natural. A companhia prevê a compra fixa de 1,8 milhão de metros cúbicos do insumo por dia e pagará pelo consumo excedente de acordo com valores estabelecidos. O atual contrato de suprimento com a Petrobras se encerra em março de 2020. A chamada pública também será feita pelas outras companhias abastecidas pelo Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol) – a MSGás (Mato Grosso do Sul), GasBrasiliano (Noroeste de São Paulo), Compagás (Paraná) e Sulgás (Rio Grande do Sul). Juntas, as cinco distribuidoras atendem a 134 mil consumidores de gás natural e possuem 4,4 mil quilômetros de redes de distribuição em 161 municípios.

 

Negociações conjuntas

A ideia de organizar uma chamada pública conjunta partiu de uma consultoria, contratada pela Mitsui, que levou em conta o fato de todas as distribuidoras serem atendidas pelo Gasbol. O processo reunirá propostas de acordo com as especificações de cada distribuidora, e as negociações posteriores serão coordenadas de forma conjunta. Com a terceira maior rede de distribuição do país – são mais de 1.200 quilômetros de rede implantada – a SCGás atende a 271 indústrias, 610 estabelecimentos comerciais, 1.994 unidades residenciais e abastece 135 postos de GNV. No mês passado, bateu novo recorde ao distribuir 1.997.564 m³/dia de gás natural, registrando no dia 12 o maior pico de venda da sua história, com 2.171.928 m³.

 

Via internet

O comércio eletrônico brasileiro deverá faturar R$ 2,11 bilhões no Dia dos Pais, alta nominal de 10% na comparação com o mesmo período de 2017, quando foi registrado R$ 1,94 bilhão. O número de pedidos pode apresentar uma expressiva alta de 24%, de 4,2 milhões para 5,2 milhões, mas espera-se que o  tíquete médio diminua 12%, de R$ 462 para R$ 408. A estimativa é da Ebit/Nielsen, considerando a expectativa de compra dos consumidores no e-commerce de 28 de julho a 11 de agosto. 

 

Leia outras publicações de Loetz

Deixe seu comentário:

Cláudio Loetz

Loetz

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação