publicidade

Navegue por
Loetz

Custo da sorte

Joinvilenses gastaram R$ 41,08 milhões nas loterias no ano passado

Compartilhe

Por Loetz
18/12/2018 - 12h33 - Atualizada em: 18/12/2018 - 17h20
Joinvilenses gastaram R$ 41,08 milhões nas loterias no ano passado
Joinvilenses gastaram R$ 41,08 milhões nas loterias no ano passado

Os joinvilenses gastaram R$ 36,07 milhões com jogos nas loterias da Caixa Econômica Federal, entre janeiro e novembro neste ano. Nos 12 meses do ano passado (janeiro-dezembro de 2017) a arrecadação somou R$ 41,08 milhões. O equivalente a 820 carros de R$ 50 mil cada.

Prefeitura vai revisar o Pró-Empresa

A Secretaria de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável da prefeitura de Joinville tem se dedicado a temas essencialmente direcionados a aspectos urbanísticos e jurídicos. Em 2019 e 2020 dará mais atenção à área da promoção e desenvolvimento econômico. Há ações já definidas. A principal decisão para estimular a atratividade do município é a revisão ampla do texto do Programa Pró-Empresa. As regras para enquadramento por parte das companhias interessadas em obter as vantagens vão mudar. Com a mudança prevista, para se credenciar a isenção e benefícios fiscais municipais, os empreendedores terão de demonstrar plano próprio de negócios e programa de pesquisa e desenvolvimento (P&D) junto a universidades ou a incubadoras ou centros de inovação. Neste contexto, a intenção da prefeitura é estimular setores convergentes para a economia do futuro: biotecnologia, novos materiais, nanotecnologia, entre outros.

O que virá

O secretário Danilo Conti explica o que virá:

— Se antes, a legislação exigia cumprimento de fatores de sustentabilidade por parte de empresas, o nosso foco, agora, se volta a favorecer empreendimentos orientados para ambientes de inovação como coworkings, distritos de inovação, incubadoras, por exemplo. Neste sentido, a proposta é apoiar projetos de inovação e projetos direcionados ao surgimento de cidade inteligente e humana.

E conclui:

— Para 2020, a meta é viabilizar a criação de dois distritos: o distrito criativo, na região central da cidade; e o de inovação, na região Norte, próximo a universidades e empresas. Uma das questões, por exemplo, é a revitalização do Centro da cidade.

A intenção é finalizar a minuta até o fim de março deste ano.

Embraco premia fornecedores

Embraco premia fornecedores
(Foto: )

Em evento recente, a Embraco premiou oito fornecedores que se destacaram durante o ano em logística, qualidade e cooperação conjunta, alcançando uma performance de mais de 95% de satisfação.

A cerimônia reuniu 150 pessoas na matriz da empresa, em Joinville. Foram reconhecidas:

Anxin (China);

FTB Tranças Brasil (Cabreúva/SP);

Fundilima (Ferraz de Vasconcelos/SP);

Metalsider (Betim/MG);

Microjuntas - (Joinville);

Sanex Retornáveis (São Bento do Sul/SC);

Arbame S/A (Embu das Artes/SP) e

Shenzhen Aero-Fasteners MFG (China).

Confiança recorde

Passado o período eleitoral, o Índice de Confiança Empresarial Sustentare (ICES) referente ao 4° trimestre de 2018 demonstra um salto impressionante de otimismo, com resultados expressivos, em nível mais alto desde a criação do índice, em 2011. O indicador de expectativa para a economia nacional atingiu 69,31 pontos contra 47,94 no período anterior.

O ICES desse 4° trimestre fechou em 53,60 pontos, sendo que no segundo semestre havia ficado em 46,43.

— Nesta edição alguns indicadores que classicamente são negativos, apresentaram resultados surpreendentes: expectativa sobre as taxas de juros, inflação e taxas de câmbio, todos muito positivos denotando o novo período promissor para o ano de 2019, com maior visibilidade diz o economista Ricardo Torres, responsável pelo levantamento.

O estudo ainda mostra que as empresas têm a intenção de reforçar os quadros de funcionários, com crescimento acentuado das contratações, sobretudo nos setores industrial e de serviços.

ICES 2018

1° trimestre: 52,40

2° trimestre: 46,43

3° trimestre: 50,11

4° trimestre - 53,60

Hengst cresce e é referência

A Hengst Brasil, multinacional de origem alemã que produz filtros automotivos, deve fechar o ano com faturamento 25% maior que o de 2017 e também espera crescer no mínimo mais 20% em 2019.

Em novembro deste ano, a companhia, com sede em Joinville, bateu o recorde de vendas desde sua chegada ao país, em 1998.

Com os excelentes resultados, a Hengst Brasil planeja ampliar a fábrica em 2 mil metros quadrados, o que irá aumentar em 30% a capacidade produtiva. O investimento será de R$ 7 milhões e as obras devem começar no início do ano 2019. A matriz, na Alemanha, escolheu a unidade brasileira como responsável pelas atividades do grupo em toda a América Latina e também no México.

No plano global, a companhia, que foi fundada na Alemanha em 1958, é um dos principais fornecedores mundiais de filtros e sistemas de filtragem nas áreas automobilística, industrial, ambiental e de bens de consumo, e o grupo acaba de adquirir a Delbag do grupo alemão FläktGroup.

Deixe seu comentário:

Cláudio Loetz

Loetz

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação