publicidade

Navegue por
Loetz

Economia

Produção da indústria catarinense cresce 4% no ano

Compartilhe

Por Loetz
09/02/2019 - 06h00 - Atualizada em: 09/02/2019 - 06h00
indústria
(Foto: )

Os resultados da pesquisa industrial mensal do IBGE mostram que a produção industrial catarinense recuou 2,7% em dezembro na comparação com novembro de 2018. No confronto com o mesmo mês do ano anterior o recuo foi de 1,3%.

No acumulado do ano a produção avançou 4%. O percentual está acima da média brasileira - expansão de 1,1% - posicionando a indústria de transformação catarinense em quarto lugar no ranking de desempenho entre as unidades federativas.

Em estudos

O governo do Estado estuda a criação de um programa específico para subsidiar microempresas, com R$ 3 mil a R$ 15 mil. A informação é de Amândio João da Silva, secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico, em sua fala durante a solenidade de posse da nova diretoria da Ajorpeme. E pediu paciência:

- Precisamos olhar para o futuro. O governo está só no começo. Vamos agir para atuar na transformação do modelo de gestão do Estado brasileiro e peço ajuda aos deputados para essa causa.

Atingidos

O presidente da Fampesc, Alcides Andrade, quer que o governo do Estado crie política pública para atender empresas atingidas por catástrofes.

Acordo fechado

O Hospital Dona Helena e a Agemed fecharam acordo e renovaram parceria que garante qualidade no atendimento hospitalar aos beneficiários da operadora de planos de saúde em Joinville e região. O novo contrato entre as empresas foi firmado no dia 7 de fevereiro, quinta-feira, e abrange a realização dos procedimentos hospitalares e/ou clínicos previstos no rol de cobertura da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Precaução

A ArcelorMittal retirou 200 pessoas moradores da comunidade localizada próxima à barragem de rejeitos de Serra Azul, em Minas Gerais. 

A medida de precaução decorre de uma inspeção e auditoria minuciosas da barragem de rejeitos, que foram realizadas após os recentes incidentes acontecidos no setor de mineração no Brasil. produz 1.2 milhões de toneladas de concentrado e minério granulado. A barragem, que é do tipo à montante, está desativada desde outubro de 2012.  É a única do tipo “à montante” dentre as barragens da empresa. 

Tarifa do gás estável

O novo presidente da SCGás, Willian Anderson Lehmkuhl, projeta que em 2019, considerando as cotações do câmbio e petróleo, a tarifa de gás natural ficará estável em Santa Catarina.

Essa estabilidade beneficiará mais de 110 mil usuários do produto, principalmente as mais de 280 indústrias atendidas, que representam 60% do PIB estadual. Mantidas as projeções atuais de câmbio de 3,80 R$/US$ e a cotação do brent de 60 US$/barril, as projeções sinalizam para um percentual muito reduzido de variação na tarifa de gás natural em julho, configurando estabilidade ao longo de todo ano.

A tarifa é atualizada, no mínimo semestralmente, pela Aresc por meio da conta gráfica, ferramenta criada em dezembro de 2016. O mecanismo acompanha as movimentações do dólar e do custo do gás - valor pago pela SCGás ao supridor -, que varia de acordo com o preço de uma cesta de óleos internacionais, entre os quais o principal é o petróleo.

O objetivo da conta gráfica é garantir o repasse do custo do gás à tarifa, mantendo o equilíbrio econômico e financeiro do serviço de distribuição. Diferente de outros estados, onde distribuidoras aderiram à nova política de preços da Petrobras, o atual contrato de suprimento foi assinado em 1995 e corresponde a modalidade Transportation Capacity Quantity (TCQ), que está vinculado exclusivamente ao fornecimento do gás natural boliviano.

Mais caros 

O Ministério da Saúde pediu à Receita Federal o aumento do imposto que incide sobre refrigerantes e outras bebidas açucaradas ou com adoçantes. A medida busca atender uma recomendação da Organização Mundial da Saúde, que sugere que as bebidas fiquem 20% mais caras para desestimular o consumo e diminuir a incidência de doenças associadas. O Fisco, inclusive, já teria dado parecer favorável para o pedido.

Mercado externo

A Oxford participa da maior feira mundial de bens de consumo, a Ambiente, que acontece em Frankfurt, Alemanha. A empresa expõe conjuntos de porcelana de mesa. O foco maior é atingir países da Europa e Oriente Médio, além dos Estados Unidos e México. Atualmente a Oxford exporta 14% do seu volume de produção e isso representa 8% do seu faturamento.

Deixe seu comentário:

Cláudio Loetz

Loetz

Loetz

Claudio Loetz é um dos mais renomados colunistas de economia do Sul do Brasil. Com textos analíticos e informativos, é a principal fonte de informação para os interessados em negócios em Joinville e região.

publicidade

publicidade

Mais colunistas

publicidade

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação