nsc
    nsc

    Revista

    Belém: o cristianismo e o conflito

    Compartilhe

    Por Moacir Pereira
    21/12/2019 - 05h00
    Igreja da Manjedoura
    Igreja da Natividade e ao lado Igreja de Santa Catarina (Foto: Moacir Pereira)

    Na próxima quarta-feira, 25 de dezembro, os cristãos de todo o mundo estarão comemorando o nascimento de Jesus. Segundo os evangelistas Lucas e Mateus, Maria deu a luz numa manjedoura, quando se dirigia a Jerusalém com José para o recenseamento decretado pelo Imperador Cesar Augusto.

    Maria e José viviam numa gruta de rocha em Nazaré, distante 30 quilômetros de Belém. Nazaré fica na Galileia, ao norte de Israel, o que explica por que Jesus é tratado como “o nazareno” ou “o galileu”. Belém está na região da Judeia, o que justifica a placa na cruz com os dizeres “Rei dos Judeus”.

    No local da manjedoura, segundo os historiadores, foi erguida a Igreja da Natividade, iniciativa de Helena de Constantinopla, mãe do Imperador Constantino, a mesma que inspirou a construção do Mosteiro de Santa Catarina no Monte Sinai, no Egito. O tempo cristão, um dos mais antigos do mundo, data do século IV.

    A administração atual da Basílica da Natividade é dividida em três religiões: a Igreja Ortodoxa Grega, a Igreja Armênia e a Igreja Católica, esta pelo pioneirismo dos franciscanos. Lá estão ricos mosaicos, cálices, candelabros e castiçais de ouro com belas esculturas, afrescos com mais de mil anos, mármores artísticos etc.

    Diferentemente da maioria das igrejas, catedrais e basílicas, com portais monumentais ricamente esculpidos e decorados, a entrada na Natividade se dá pela chamada “Porta da Humildade”, estreita e com apenas 1,24 m de altura, obra do tempo das Cruzadas para impedir o ingresso dos cavalos. Ela obriga os peregrinos e visitantes a se curvarem para entrar.

    Ao lado da Natividade projeta-se a histórica Igreja de Santa Catarina de Alexandria, com uma bela imagem no altar do lado direito. Belém, com 30 mil habitantes, é uma cidade palestina situada na região central da Cisjordânia. Distante apenas 10 quilômetros de Jerusalém, está separada por um extenso muro de concreto. Torres de vigilância controlam a entrada e a saída de veículos. Os carros dos palestinos costumam ser submetidos a rigorosas inspeções.

    Caverna Subterrânea
    (Foto: )

    Parada obrigatória

    Pelo valor histórico abrigando a Igreja da Natividade e pela complexidade política, Belém é visita obrigatória de turistas do mundo inteiro que viajam a Israel.

    Recordes

    A Justiça de Santa Catarina teve este ano o melhor desempenho em termos de produtividade. Os juízes de primeiro grau sentenciaram ou arquivaram por concluídos 1.002.894 processos. No período foram protocolados outros 894.305 processos e lavradas 716.938 sentenças. No Tribunal de Justiça não foi diferente, também com recorde histórico. Foram julgados este ano 121.155 recursos contra 113.137 de 2018. No período, baixados outros 115.184.

    Nas duas instâncias a produção superou a demanda. Por isso, o acervo no segundo grau caiu de 113.897 em 2017 para 103.989 este ano.

    Previdência

    O ano está terminando com a pendência da PEC da reforma da previdência na Assembleia Legislativa. Além da mobilização dos delegados, policiais civis e agentes penitenciários contra a discriminação do projeto do governo em relação dos policiais militares e bombeiros, há outras categorias que propõem mudanças no recomeço dos trabalhos legislativos, em fevereiro.

    As discrepâncias são maiores na segurança pública.

    Avaliação

    A Fecomércio e a Acats não tiveram sucesso nas ações para mudança do ICMS nas vendas do comércio, mas abriram um canal de negociações com a Assembleia Legislativa.

    No início de 2020 as duas entidades farão um levantamento sobre a redução do ICMS para a indústria, de 17% para 12%. Se provarem que houve aumento da carga tributária para as vendas no comércio e ônus para os consumidores, levarão os dados ao presidente da Comissão de Finanças, Marcos Vieira, que prometeu uma reavaliação e eventuais correções na lei estadual.

    Parcerias

    Deputado Milton Hobus (PSD) não abre mão da votação do projeto que condiciona à análise da Assembleia Legislativa as Parcerias Público-Privadas no Estado. Alega que, restritas ao Executivo, as PPPs não tiveram avanço. A legislação existe há 16 anos, há uma empresa estatal só para tratar desse programa e o resultado é zero.

    Garante que, no Legislativo, haverá mais eficiência e transparência. E lembra que a primeira PPP do Estado, assinada no governo Paulo Afonso, gerou uma ação judicial que está em R$ 2,3 bilhões.  Com sentença transitada em julgado.

    CURTAS

    PORTOS

    > A eficiência dos portos de Santa Catarina em números: movimentação de 2 milhões de contêineres contra 7 milhões de todo o Brasil. Quase 30%.

    NOVO ACESSO

    > Prefeito Mauro Candemil assinou o contrato para construção do novo acesso Norte da BR-101 a Laguna. Terá 5,5 km de extensão ao custo de R$ 7 milhões.

    CONSELHO

    > Conselheiro aposentado José Carlos Pacheco assumiu, interinamente, a presidência do Conselho Superior da Irmandade do Senhor dos Passos.

    FUNDO (1)

    > Dos 16 deputados federais de SC, três votaram pela aprovação do Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões para 2020: Angela Amin (PP), Pedro Uczai (PT) e Ricardo Guidi (PSD).

    Estão sendo bombardeados nas redes sociais.

    FUNDO (2)

    Doze deputados votaram pela redução do fundo para R$ 1,3 bilhão. Licenciada, a deputada Caroline De Toni (PSL) estava ausente na sessão.

    Leia as últimas notícias no portal NSC Total

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas