nsc
    nsc

    Economia

    Movimento em Porto de Itajaí cresce 150% nos últimos três anos

    Compartilhe

    Por Moacir Pereira
    12/02/2020 - 19h25 - Atualizada em: 13/02/2020 - 08h05
    Movimento em Porto de Itajaí cresceu 150% nos últimos três anos (Foto: Divulgação)
    Movimento em Porto de Itajaí cresceu 150% nos últimos três anos (Foto: Divulgação)

    Durante reunião conjunta realizada nesta quarta-feira pelo Conselho de Infraestrutura e Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, o engenheiro Marcelo Salles, superintendente do Complexo Portuário de Itajaí, fez revelações impactantes:

    1. Nos últimos 3 anos, o movimento de cargas no porto aumentou 150%;

    2. 70% de todas as exportações de SC, totalizando 6,2 bilhões de dólares, saíram pelo Completo Portuário de Itajaí (Itajaí e Navegantes).

    3. A realização de obras de dragagem e de alargamento da bacia de evolução dá novo impulso a complexo, pois está recebendo navios com mais de 350 metros.

    4. Há necessidade de investimentos urgentes do governo federal de 250 milhões de reais para conclusão da 2ª etapa das obras.

    Nota da Assessoria de Imprensa da Fiesc dá mais detalhes sobre a fala de Marcelo Salles: “O projeto da segunda etapa está pronto e estamos buscando os recursos para dar continuidade. Se não fizermos as obras, futuramente teremos impacto na movimentação dos contêineres”, disse Salles, lembrando que todos os novos navios que estão sendo contratados são de 400 metros de comprimento, o que exige readequação da estrutura para receber essas embarcações maiores.

    Movimento em Porto de Itajaí cresceu 150% nos últimos três anos (Foto: Divulgação)
    (Foto: )

    “Começamos a primeira etapa em 2012 e efetivamos em 2019. Então tem que começar a segunda etapa hoje para ter as condições que serão exigidas”, afirmou. A segunda etapa compreende obras como o realinhamento do molhe norte, com o aumento do canal externo e ampliação da distância entre os molhes norte e sul.”

    Já o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, destacou que Santa Catarina tem a segunda maior movimentação de contêineres do país e responde por 19% do total nacional. “Sem uma infraestrutura adequada, que permita a chegada e a saída de contêineres dos portos com agilidade, podemos perder atratividade”, disse, lembrando ainda que há um dado internacional que mostra que um contêiner movimenta cerca de US$ 1,2 milhão na economia.

    “Infraestrutura é a grande demanda de Santa Catarina. Temos que nos preparar para o futuro. As tendências são navios maiores e temos que nos preparar para recebê-los. Os dados confirmam a importância de termos portos dinâmicos e atrativos”, completou. 

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas