nsc
    nsc

    Entrevista

    “Ou aprova a reforma ou o Brasil vai pro buraco”, diz deputado em reunião da Fiesc

    Compartilhe

    Por Moacir Pereira
    27/04/2019 - 02h30
    Darci de Matos foi empossado titular da Comissão Especial que examinará o mérito da proposta na Câmara Federal. (Foto: Salmo Duarte / A Notícia)

    A defesa enfática da aprovação da reforma da Previdência marcou a palestra do deputado Darci de Matos na reunião mensal da Fiesc. Ele foi empossado titular da Comissão Especial que examinará o mérito da proposta na Câmara Federal. Depois, ele se posicionou com novos dados.

    O que, afinal, atrasa a aprovação da reforma previdenciária?

    Está realmente atrasada porque a oposição está obstruindo a discussão e votação do projeto. A oposição esteve 13 anos no poder e não resolveu a gravíssima situação da Previdência. Estamos há apenas quatro meses. Eles, da oposição, fazem discurso em defesa dos pequenos, mas só estão defendendo os grandes. A reforma, na realidade, acabará com os privilégios, pegando os grandes, e protegendo os pequenos.

    Por quê?

    Porque vamos tirar da reforma o agricultor e proteger o BPC, protegendo os deficientes e os idosos. Temos que acabar com os privilégios dos grandes, principalmente no serviço público. E quando cito o serviço público não estou falando da enfermeira ou da professora que ganha R$ 4 mil ou R$ 5 mil. Estou falando dos que ganham R$ 20 mil, R$ 30 mil e até R$ 50 mil. Como tem um aqui na Fazenda, ganhando R$ 68 mil. A reforma é imprescindível para que o Brasil volte a crescer. Ou fazemos a reforma ou o Brasil quebra e ninguém vai receber nada.

    Qual é o principal mérito do projeto?

    Um deles é equiparar o servidor público com o empregado da iniciativa privada. As disparidades hoje são injustas e gritantes. O salário médio de um aposentado do INSS é de R$ 1.403. Já o salário médio do Executivo é de R$ 8.478, do Judiciário é R$ 18.065, e do Legislativo é de R$ 26 mil. O problema está no serviço público. Vamos buscar o equilíbrio.

    E por que os deputados de oposição e sindicatos de trabalhadores são contra?

    Eles estão numa posição ideológica e partidária. Ficaram no governo durante 13 anos e veja o que deu. O Brasil está numa situação catastrófica. São mais de 12 milhões de desempregados, gente morrendo na fila do SUS e assim por diante. Dizem que defendem os pequenos, mas estão é protegendo os grandes. E muitos desses deputados que aparecem todo dia na mídia estão lá para garantir suas gordas aposentadorias.

    O governo não está errando na comunicação?

    Exatamente. Temos todos que nos comunicar melhor, falando a verdade e conscientizando a população de que a reforma pega os grandes e não os pequenos. Fiz um apelo aos empresários da Fiesc e venho pregando que a população se mobilize a favor. O Brasil está quebrado e não tem saída. Não podemos errar. Ou aprovamos a reforma ou o Brasil vai pro buraco.

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas