nsc
    nsc

    Política

    PSL: crise de identidade em SC

    Compartilhe

    Por Moacir Pereira
    09/11/2019 - 06h00
    Crise atinge PSL de Santa Catarina (foto:Arquivo Pessoal)
    Crise atinge PSL de Santa Catarina (foto:Arquivo Pessoal)

    O racha registrado no comando nacional do PSL, o partido de Bolsonaro que elegeu o governador Carlos Moisés da Silva, também atinge as principais lideranças em Santa Catarina. Na Câmara Federal, o PSL tem a segunda maior bancada com 53 deputados, dos quais quatro catarinenses. Destes, apenas Fábio Schiochet está fechado com o governador. Os outros três são bolsonaristas e se contrapõem a Moisés.

    Fenômeno idêntico ocorre na Assembleia Legislativa, onde o governador conta com apenas quatro dos seis deputados estaduais do PSL. Fechados mesmo só Ricardo Alba e Coronel Mocellin, candidatos nas eleições municipais, afinados com Moisés. Alba foi alvo de uma referência considerada desrespeitosa ao prefeito Mário Hildebrandt (sem partido), na abertura da Oktoberfest.  O governador ignorou a presença de Hildebrandt e homenageou Ricardo Alba como “futuro prefeito”.

    Já o coronel Mocelin é pré-candidato definido para prefeito de Itajaí, apoiado por Moisés e disposto a enfrentar Volnei Morastoni, do MDB, que postulará a reeleição. Para não receberem a pecha de anti-bolsonaro, Alba e Mocellin estiveram em Brasília conversando com o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL).

    Em Joinville, a aliança PSL-MDB, costurada há meses em conversa de Moisés com o líder Luiz Fernando Vampiro, ganhou consistência com o aval do prefeito. Teve fato novo esta semana. O deputado Fernando Krelling, favorito de Udo Döhler (MDB) à prefeitura, foi o único convidado à assinatura da ordem de serviço de obras há anos reivindicada por Joinville.

    O coronel Armando, que já protestara contra a demissão do superintendente do Porto de São Francisco do Sul, João Batista Furtado, reagiu. Considerou-se marginalizado na solenidade da Secretaria de Infraestrutura. Ele também deve ser candidato em Joinville. O projeto comum MDB-PSL, centrado em Joinville, vai se repetir em vários municípios. Se, de um lado, facilita os projetos do governador na Assembleia, de outro agrava a crise do PSL em Santa Catarina.

    Leia as últimas notícias do NSC Total

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas