nsc
nsc

Críticos famosos de vinhos

Como funciona a premiação dos vinhos no mundo

Compartilhe

Nara
Por Nara Caviquioli
19/08/2021 - 13h27
Na avaliação dos vinhos muitos rótulos a serem degustados
Na avaliação dos vinhos muitos rótulos a serem degustados (Foto: Caroline Attwood)

Não é de hoje que os vinhos recebem premiações no mundo inteiro. Mas porque os vinhos são premiados? Cada safra é única, pois dependemos de vários fatores, principalmente condições climáticas. A maioria dos produtores gostaria de ter um vinho de sua produção premiado, isso atestaria a qualidade do seu produto e colocaria ele em alta no mercado consumidor.

Nessas avaliações o produtor envia uma amostra do vinho que ele gostaria de concorrer e a avaliação deste vinho é feita às cegas por jornalistas, críticos e sommeliers renomados. Os tipos de premiações dependem dos famoso críticos que acabam dando notas para os vinhos como é o caso dos críticos conhecidos - Jancis Robinson, Luca Maroni, Tim Atkin, Robert Parker, James Suckling, Gilbert & Gaillard.

Mas também existem as premiações que são dadas por entidades que se comprometem em atestar a qualidade do vinho como - Wine Spectator, The Wine Hunter, Decanter, Wine Enthusiast, Descorchados, The International Wine Challenge (IWC), Concours Mondial de Bruxelles, Mundus Vini, Concurso Internacional Bacchus e aqui no Brasil temos a Brazil Wine Challenge.

O mercado internacional reconhece essas entidades e os críticos famosos, que com imparcialidade e muita credibilidade experimentam e pontuam os melhores exemplares de cada safra.

Para você conhecer um pouquinho mais sobre a biografia desses críticos vou contar aqui um pouco sobre os mais famosos começando com – James Suckling é o crítico de vinhos norte-americano, 62 anos. Ele é ex-editor sênior e chefe do Bureau Europeu da Wine Spectator e editor europeu da Cigar Aficionado. É considerado um dos críticos de vinhos mais influentes do mundo e um dos mais experientes críticos de charutos vintage. Suas avaliações de vinhos seguem a escala de 100 pontos.

James Suckling em mais uma degustação
James Suckling em mais uma degustação
(Foto: )

E para representar muito bem o mundo feminino no vinho vem a famosa a crítica de vinhos britânica Jancis Mary Robinson, 71 anos. Foi a primeira mulher a obter o título de Master of Wine. Ela é jornalista e escritora de vinhos. Atualmente, escreve uma coluna semanal para o jornal Financial Times e publica diariamente em seu site www.jancisrobinson.com. Ela dá consultoria para a adega da rainha Elizabeth II e foi condecorada com o Mérito Agrícola Francês. Suas avaliações de vinhos seguem a escala de 20 pontos.

Jancis Robinson sempre esbanjando elegância
Jancis Robinson sempre esbanjando elegância
(Foto: )

Outro que entra para essa lista e para história, sendo um dos mais polêmicos é o norte-americano Robert McDowell Parker Jr., 74 anos. Criou o boletim informativo The Wine Advocate, www.robertparker.com, e tornou-se um dos mais influentes na decisão de compra de vinhos nos Estados Unidos. É editor colaborador da Food and Wine Magazine e da revista Business Week, da revista britânica The Field. Ele nada mais é do que o primeiro crítico de vinhos não-francês da revista L’Express. Parker tem seu nariz e palato assegurados em US $ 1 milhão. Suas avaliações de vinhos seguem a escala de 100 pontos. Nos dias atuais ele está aposentado, mas toda estrutura da Wine Advocate continua funcionando.

Robert Parker e sua paixão pelo mundo dos vinhos
Robert Parker e sua paixão pelo mundo dos vinhos
(Foto: )

Nara Caviquioli

Colunista

Nara Caviquioli

by @vinhosdemais / Jornalista apaixonada por vinhos, pela história que envolve cada produtor, cada uva, cada Terroir. Encantada por viagens, gastronomia e o poder que tudo isto tem em harmonizar com os vinhos. Pegue uma taça e vamos viajar juntos!

siga Nara Caviquioli

Nara Caviquioli

Colunista

Nara Caviquioli

by @vinhosdemais / Jornalista apaixonada por vinhos, pela história que envolve cada produtor, cada uva, cada Terroir. Encantada por viagens, gastronomia e o poder que tudo isto tem em harmonizar com os vinhos. Pegue uma taça e vamos viajar juntos!

siga Nara Caviquioli

Mais colunistas

    Mais colunistas