nsc
    nsc

    Futuro

    Tendências corporativas para o setor de tecnologia no Oriente

    Compartilhe

    NSC
    Por NSC Lab
    30/12/2020 - 08h00
    Cidades asiáticas liderando o desenvolvimento tecnológico
    Wai Tan, Sahangai (Foto: Unsplash)

    Até o início dos anos 2000, a China e parte dos países que compõem o continente asiático eram conhecidos pela falsificação de produtos e de tecnologias desenvolvidas por outras nações. Após duas décadas de investimentos expressivos em educação e em infraestrutura, estes países passaram a ser líderes no desenvolvimento do futuro da tecnologia.

    “A melhor época para plantar uma árvore foi há 20 anos. O segundo melhor momento é agora”, antigo provérbio chinês.

    Um estudo desenvolvido pela consultoria McKinsey aponta que os executivos das principais companhias asiáticas acreditam que a pandemia é um ponto de inflexão e um catalisador, não uma lombada, turbinando as tendências existentes e tornando ainda mais urgente para os líderes impulsionar o desempenho de suas empresas.

    A pandemia acelerou a relação entre os setores público e privado. No campo da saúde, por exemplo, a telemedicina tem levado cuidados básicos para populações antes desassistidas em países como Índia, China e Tailândia. A pesquisa aponta 5 macrotendências pós-pandemia para o continente:

    1. Ásia determinando seu próprio futuro

    Em novembro de 2020 foi formado o maior pacto de livre comércio do mundo, compreendendo 15 países da região Ásia-Pacífico. O objetivo consiste em gerar maior independência e integração entre os países que compõe o pacto, de modo que a Ásia não dependa do resto do mundo para trilhar o seu futuro.

    Xiaomi supera Apple em venda de celulares

    2. Jornadas do consumidor baseadas em dados e inovação digital

    O uso dos bancos digitais aumentou em até 400% em países como Singapura, Índia e Coreia do Sul durante a pandemia. Esse acréscimo ocorre paralelamente a um aumento nas atividades “faça você mesmo”, fique em casa, e comércio por meio de plataformas de mídia sociais. Vários “Super Apps” surgem com o pressuposto de que todas as necessidades diárias das pessoas devem ser supridas em uma única plataforma, criando experiências completas e personalizadas de consumo.

    3. Fusões e aquisições

    A pandemia criou oportunidades para as grandes empresas asiáticas se consolidarem e se tornarem ainda maiores. Ser grande em um ecossistema digital deve ser uma vantagem tecnológica. Maior alcance e escala podem gerar o volume de dados necessários para criar um “ciclo virtuoso” que ajudará a refinar as tecnologias de aprendizado de uma empresa.

    4. Modelos operacionais centrados no ser humano

    A maioria das empresas teve que implementar trabalho remoto de modo muito acelerado. Esse experimento sem precedentes ajudou a mudar mentalidades. Os CEOs ainda estão descobrindo o papel exato que o trabalho remoto desempenhará depois que a pandemia cessar.

    Para estimular a tomada de decisão mais rápida, os líderes estão nivelando sua estrutura organizacional e empurrando para baixo a tomada de decisão, confiando que os funcionários na linha de frente sabem o que fazer.

    2020: um ano de desafios e superação para o setor de tecnologia catarinense

    5.O propósito irá definir o futuro

    A pandemia também trouxe questões ambientais, sociais e de governança.  Os líderes asiáticos entendem que quando se investe em desenvolvimento socioambiental, gera-se mais valor e com o tempo, maior retorno para os acionistas.

    Projeto do IFSC Florianópolis transforma carros a combustão em elétricos

    Existe uma expectativa de que o Continente Asiático continue a se beneficiar de investimentos substanciais com infraestrutura aliada à sustentabilidade. A Tailândia, por exemplo, espera se estabelecer como um centro de veículos elétricos, enquanto a China pretende atrair US $ 500 bilhões em investimentos para infraestrutura verde.

    Ramon Cardeal Silva para o NSC Lab

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas