Florianópolis

publicidade

Pancho

Trânsito

Blumenau arrecada mais com multas em 2017

Compartilhe

Por Pancho
12/02/2018 - 10h59 - Atualizada em: 12/02/2018 - 11h06

Boa parte das notificações foi por excesso de velocidade flagrado em radares usados pela Guarda Municipal
Boa parte das notificações foi por excesso de velocidade flagrado em radares usados pela Guarda Municipal
(Foto: )

A arrecadação com multas no ano passado aumentou 36,5% em relação a 2016, de acordo com o Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transportes de Blumenau (Seterb). Foram R$ 17,4 milhões de janeiro a dezembro de 2017, contra R$ 12,8 milhões no mesmo período do ano anterior. O valor obtido com infrações de trânsito divulgado pelo Seterb é diferente do informado, pelo menos até a quinta-feira passada, no Portal da Transparência do município, onde consta o valor de R$ 20,4 milhões.

Siga Pancho no Facebook, Twitter e Instagram​​​​​​

Segundo o presidente do Seterb, Carlos Lange, há um erro que está sendo corrigido. O sistema estaria somando duas vezes os valores destinados às polícias Civil e Militar. Por convênio, cada corporação recebe o equivalente a 10% do que foi arrecadado até junho com as chamadas multas manuais (emitidas pelos agentes) e 15% do arrecadado a partir de julho.

Lange também destaca que o aumento na arrecadação tem mais relação com o reajuste dos valores das multas e com a gravidade das infrações do que com o aumento da quantidade de multas.

A maior parte da arrecadação corresponde às multas emitidas por agentes de trânsito, o que inclui aquelas geradas pela falta de regularização da Área Azul. Só nesse item foram R$ 9,2 milhões no ano passado, crescimento de 46%.

Depois vem a arrecadação com multas emitidas por excesso de velocidade flagrado com os radares portáteis usados pela Guarda Municipal de Trânsito nas ruas da cidade. No ano passado, foram obtidos R$ 5,8 milhões, aumento de 37% em relação a 2016. Por fim, há a arrecadação com multa emitidas por excesso de velocidade em lombadas eletrônicas: R$ 2,4 milhões, contra R$ 2,2 milhões no anterior (alta de 10%).

Dos R$ 17,4 milhões arrecadados no ano passado, R$ 6,1 milhões foram gastos com despesas fixas, diretamente ligadas à emissão das multas. Só com Correios, por exemplo, a conta foi de R$ 2,1 milhões. Outra despesa alta é o custo operacional da fiscalização eletrônica, que no ano passado somou em torno de R$ 1,5 milhão.

Além dessas despesas, existe o repasse para as polícias Civil e Militar, que em 2017 chegou a R$ 2,6 milhões. Em breve, além do total alcançado com as multas, o Portal da Transparência deve divulgar todas as despesas e investimentos feitos anualmente com esse valor.

Estacionamento rotativo é campeão

Já a quantidade de multas emitidas em 2017 foi 6,9% maior que em 2016. O número passou de 139.445 para 149.102. Nos autos de infrações emitidos pelos agentes de trânsito, da PM e Área Azul houve queda de 1%. Foram 60.064 notificações emitidas, quase um terço delas (31,6%) referente à falta de regularização das amarelinhas do estacionamento rotativo. Na sequência, vêm a falta do uso de cinto de segurança (6,19%), de licenciamento do veículo (6,05%) e estacionamento em local ou horário proibido (4,55%).

Já as multas emitidas pelos polêmicos radares portáteis usados pela Guarda Municipal de Trânsito aumentaram 38%, passando de 48.006 em 2016 para 66.311 no ano passado. Na maior parte (77% do total) os condutores foram flagrados em velocidade até 20% superior à permitida.

Fiscalização contra a imprudência

O presidente do Seterb, Carlos Lange, defende-se da acusação que muitos fazem de que a prefeitura implantou na cidade uma “indústria da multa” para aumentar a arrecadação. Diz que o Seterb não precisa disso e que a quantidade de autos emitidos é decorrente de uma fiscalização eficiente e, infelizmente, da imprudência dos condutores.

— Como vemos, muita gente ainda desrespeita as leis de trânsito.

Lange assegura que a maior preocupação no trânsito é com os acidentes com vítimas. No ano passado, 25 pessoas morreram em acidentes nas ruas de Blumenau, 19% a mais que os 21 registrados em 2016. E em 70% desses casos havia o envolvimento de motociclistas.

Deixe seu comentário:

publicidade

Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação
Florianópolis
© 2017 NSC Comunicação