nsc
nsc

Economia

Coronavírus: demissões no setor têxtil também atingem fábrica de etiquetas de Blumenau

Compartilhe

Pedro
Por Pedro Machado
08/04/2020 - 14h04 - Atualizada em: 08/04/2020 - 14h09
Haco Etiquetas
Foto: Lucas Amorelli, BD

Além da Brandili, o desaquecimento na economia provocado pelo novo coronavírus levou a demissões também na Haco, uma das principais fabricantes de etiquetas tecidas do mundo, com sede na Vila Itoupava, em Blumenau. Relatos de funcionários começaram a chegar ainda na segunda-feira ao Sintrafite, sindicato que representa os trabalhadores da indústria têxtil da região.

​​Em site especial, saiba tudo sobre o novo coronavírus

As informações da quantidade de desligamentos, no entanto, são desencontradas. O Sintrafite diz que ouviu relatos de que foram 60 pessoas, mas nem mesmo a entidade sabe ainda o tamanho do corte porque alega que não consegue contato com a empresa. À coluna, um porta-voz da Haco disse que a companhia não vai comentar o assunto.

Informações de bastidores dão conta de que a empresa precisou reajustar o quadro em função de cancelamentos de pedidos, motivados pelo desaquecimento da economia provocado pelo novo coronavírus.

O Sintrafite diz que vai acionar o Ministério Público do Trabalho para cobrar respostas da empresa sobre a medida.

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Pedro Machado

Colunista

Pedro Machado

Um olhar especializado na economia e nos negócios dos setores pulsantes de Blumenau e região.

siga Pedro Machado

Mais colunistas

    Mais colunistas