nsc
    nsc

    Negócios

    Empresas têxteis querem buscar soluções para o setor dentro de instituições de ensino

    Compartilhe

    Pedro
    Por Pedro Machado
    13/03/2020 - 10h34 - Atualizada em: 13/03/2020 - 10h41
    SCMC
    Empresários, professores e representantes de instituições de ensino se reuniram na quinta-feira em Blumenau (Foto: Divulgação)

    Em seu 15º ano, o Santa Catarina Moda e Cultura (SCMC), movimento que reúne empresas do ramo têxtil e de confecção e que se propõe a lançar um novo olhar para o mercado da moda no Estado, quer fortalecer o intercâmbio com universidades. A ideia é aproximar ainda mais indústria e academia e, assim, construir soluções em conjunto para fazer frente aos desafios do setor.

    Um primeiro passo para isso foi dado nesta quinta-feira (12). Reitores e professores e coordenadores de cursos de instituições de ensino da região que têm relação com a indústria têxtil, como moda, design e engenharia, participaram de um tour pela produção da Karsten, em Blumenau. O encontro foi considerado histórico por vários dos presentes, justamente por reunir uma grande quantidade de profissionais dispostos a alinhar a proposta.

    O novo presidente do SCMC, Junior Oliveira, diz que essa conexão entre empresas e instituições de ensino sempre esteve no DNA do movimento, mas que precisa ser reforçada constantemente devido às transformações do mercado. Se antes a preocupação maior era com moda e design, estratégia adotada para buscar diferenciação frente aos produtos asiáticos, o objetivo agora é mergulhar também em outros processos internos relativos à produção.

    — Vamos colocar alunos dentro da empresa e a empresa dentro da universidade para entender as dores de cada um — resume Oliveira.

    Uma das ações já mapeadas inclui o lançamento de “desafios” para estudantes, que serão elaborados nos próximos meses. A ação é mais que bem-vinda. Há uma preocupação geral, que se estende a outros segmentos, de que os futuros profissionais estão saindo das cadeiras universitárias sem o devido preparo, justamente pela velocidade de como as coisas vêm mudando na economia.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas