publicidade

Pedro

Universidade

Furb tem R$ 55,1 milhões em mensalidades atrasadas a receber, diz reitora

Compartilhe

Por Pedro Machado
16/05/2019 - 17h43 - Atualizada em: 16/05/2019 - 17h43
Márcia Sardá Espíndola fez um balanço da gestão nesta quinta-feira na Câmara de Blumenau (Foto: Ingrid Leonel, Divulgação)

A Furb tem R$ 55,1 milhões em dívidas ativas a receber, referentes a mensalidades atrasadas e não pagas dos alunos. O dado foi revelado pela reitora Márcia Sardá Espíndola na tarde desta quinta-feira na Câmara de Vereadores de Blumenau. Ela usou a tribuna da Casa para fazer um balanço dos 100 primeiras dias da nova gestão, completados no dia 11 deste mês.

A cifra ajuda a ilustrar as conhecidas dificuldades financeiras da universidade. A nova gestão, segundo a reitoria, já reduziu em 25% o orçamento de 2019, revendo o quadro de servidores celetistas e renegociando contratos em áreas como limpeza e segurança.

Outra medida adotada para equilibrar as contas foi a decisão, aprovada pelo Conselho Superior Universitário, de não conceder aumento de salários aos servidores da instituição neste ano. Também em função do caixa escasso, o 13ª será pago somente em dezembro – não há possibilidade de antecipação de parte do benefício, como em anos anteriores.

— Se tiver aumento, não há como pagar salário — avaliou a reitora.

No mesmo acordo foi definido que a Furb não repassará recursos ao ISSBlu relativos ao período entre maio e dezembro deste ano.

Em outra frente, a universidade implantou já em março um programa de recuperação de créditos, com descontos a partir de 20% – chegando a até 100% em alguns casos – sobre juros e multas de mensalidades vencidas e não pagas entre os anos de 1992 e 2018. Segundo Márcia, a iniciativa já permitiu um retorno de pouco mais de R$ 600 mil.

A expectativa é recuperar pouco mais de R$ 3 milhões deste valor, mas principalmente criar alternativas para que o estudante retorne às salas de aula, diz a reitora. A Furb precisa disso até como forma de reforçar as receitas, visto que o quadro de alunos reduziu significativamente nos últimos anos.

Aliás

A prefeitura de Blumenau usou o reajuste zero na Furb como argumento para sustentar as dificuldades financeiras do município no ofício entregue ao sindicato dos servidores públicos (Sintraseb) com respostas às pautas reivindicadas pela categoria.

Deixe seu comentário:

publicidade