nsc
    nsc

    Mercado imobiliário

    Projetos de prédios corporativos sinalizam verticalização da economia de Blumenau

    Compartilhe

    Pedro
    Por Pedro Machado
    15/06/2018 - 11h29
    Na Vila Nova, construtora está erguendo um prédio comercial de 13 andares (Foto: Patrick Rodrigues)

    A economia de Blumenau se movimenta, também, em sentido vertical. Empreendimentos com foco no público corporativo, já lançados e em obras, revelam uma demanda ainda não atendida de determinados segmentos do setor de serviços. Não se trata somente de mais prédios com salas comerciais – se falta de espaço fosse problema, não haveria tantas placas de aluga-se em várias regiões da cidade –, mas de propostas direcionadas para nichos de negócio específicos, ou que têm na localização o seu grande atrativo. Técnicas modernas de construção civil, atributos de sustentabilidade, andares exclusivos de garagens e galerias de lojas complementares são características em comum desses projetos.

    ​​Curta Pedro Machado no Facebook​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​

    Leia mais publicações de Pedro Machado​​​​​​​​​​​​​​​​

    Na Rua 7 de Setembro, no Centro, a Construtora Stein está erguendo um prédio de 14 pavimentos e 34 mil metros quadrados de área entre o colégio Sagrada Família e a esquina com a Rua Marechal Floriano Peixoto, num investimento que gira em torno de R$ 50 milhões. O projeto, além de 207 vagas rotativas, contempla 165 salas comerciais e estrutura de apoio, como lojas e restaurante. A entrega está prevista para 2021. A grande sacada é um acesso direto ao Hospital Santa Isabel. Por isso, clínicas, laboratórios e profissionais da área de saúde que hoje precisam se locomover do trabalho até a unidade hospitalar, muitas vezes perdendo tempo no trânsito, são o alvo principal da prospecção.

    — É um modelo de urbanismo, que otimiza tempo e diminui a dependência do carro — avalia o gestor de projetos da construtora, Alberto Scheeffer Stein.

    Na Rua João Pessoa, a Raízes Incorporadora também está construindo um prédio com salas comerciais. Próximo dali, atrás do Parque Ramiro Ruediger, a Torresani inaugurou em 2016 o Ibiza, um dos mais modernos condomínios empresariais do Estado, com 26 andares e vista privilegiada para o Centro da cidade. Ambos estão próximos da Fórum de Blumenau e do futuro novo prédio da Justiça Federal, atrativos principalmente para escritórios de advocacia.

    Na Vila Nova, a construtora e incorporadora Planolar projeta entregar no primeiro semestre do ano que vem o Work Town Corporate, um prédio de 13 andares e 13,7 mil metros quadrados de área cujo investimento gira em torno de R$ 37 milhões. O empreendimento fica em frente ao hospital da Unimed e justamente por isso terá um elevador especial para transporte de macas. A diferença em relação a outros projetos, no entanto, é o tamanho dos espaços.

    — Fugimos de salas comerciais pequenas, que já têm muita oferta — diz o gerente comercial da Planolar, Flavio Honorato.

    Cada um dos andares terá apenas uma ou duas salas, a partir de 300 metros quadrados. O objetivo é atrair empresas de médio e grande porte, que consigam alocar suas atividades sem a necessidade de fazer muitas adaptações. É para lá, por exemplo, que a empresa de tecnologia HBSIS levará, quando tudo estiver pronto, cerca de 500 funcionários, ocupando quatro pavimentos.

    Na análise do presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Blumenau (Sinduscon), Marcos Bellicanta, todos esses empreendimentos vão atender demandas específicas reprimidas de determinados segmentos. Ele também avalia que salas com configurações genéricas tendem a perder espaço e enxerga potencial para o crescimento de projetos comerciais focados.

    Deixe seu comentário:

    Últimas do colunista

    Loading...

    Mais colunistas

      Mais colunistas