nsc

publicidade

Pedro

Economia

Vendas do varejo de SC em abril caem frente a março, mas são melhores em relação a 2018

Compartilhe

Por Pedro Machado
12/06/2019 - 18h00
Foto: Patrick Rodrigues, BD

As vendas do comércio varejista de Santa Catarina apresentaram leve recuo de 0,2% em abril frente a março, já considerando ajustes sazonais, mostram dados do IBGE divulgados nesta quarta-feira. Por outro lado, quando a comparação é com o mesmo mês de 2018, houve avanço significativo, de 6,9%.

Neste último caso, foi o terceiro melhor desempenho entre os estados do país, atrás apenas do Espírito Santo (+7,4%) e de Tocantins (+7,1%). O resultado foi puxado pelos segmentos de equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (+30,5%) e supermercados e produtos alimentícios (+7,2%). No Brasil, a média ficou em 1,7%.

Nas redes

Em postagem em uma rede social onde destacou um giro feito por rádios de Blumenau ontem pela manhã, o prefeito Mario Hildebrandt voltou a reforçar que a prefeitura só terá condições de repor a inflação aos salários dos servidores públicos municipais em janeiro de 2020. Cobrado por uma seguidora para pagar o INPC, como determina a legislação, Hildebrandt disse que “é isso (pagar só em janeiro) ou deixar os 8 mil servidores sem décimo terceiro e pagamento em dezembro”.

Aliás

O debate sobre ter ou não ter dinheiro para conceder já a reposição da inflação esbarra num ponto. A peça orçamentária de um município é feita no ano anterior ao corrente, com base em projeções de arrecadação. Nem sempre as estimativas se confirmam, caso de 2019.

4,5%

É a fatia de Blumenau no Índice de Participação dos Municípios (IPM), calculado pela Secretaria da Fazenda do Estado. Na prática, é esse percentual de toda a arrecadação de ICMS do governo estadual que será repassado ao município em 2020. O dado ainda é provisório e pode ser questionado pela prefeitura.

Concessões (1)

Nome à frente da elaboração do pacote de concessões a ser lançado pela prefeitura de Blumenau nos próximos dias – a greve dos servidores adiou a programação –, o diretor geral do gabinete do prefeito e secretário interino de Turismo e Lazer, Marcelo Greuel, está confiante de que todos os 15 projetos previstos atrairão investidores. O cuidado maior na elaboração foi justamente garantir atratividade junto à iniciativa privada.

Concessões (2)

Como a coluna já havia antecipado, o pacotaço soma investimentos em torno de R$ 250 milhões. Inclui parques municipais, os cemitérios públicos, a Área Azul, o pátio do Seterb, o mercado público municipal, a rodoviária e o Aeroporto Quero-Quero, entre outros ativos.

Deixe seu comentário:

publicidade