nsc
nsc

Enxurrada

Comissão de Desastres vai até Presidente Getúlio apurar causas da tragédia

Compartilhe

Renato
Por Renato Igor
19/12/2020 - 07h40
Cenário de destruição no bairro Revólver, em Presidente Getúlio
Cenário de destruição no bairro Revólver, em Presidente Getúlio (Foto: Patrick Rodrigues)

Na próxima semana, técnicos da Comissão de Desastres da Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRHidro) vão até Presidente Getúlio para apurar as causas da tragédia que matou 14 pessoas, 12 delas na cidade. A informação é do professor adjunto do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do sul (UFRGS) e coordenador da Comissão da ABRHidro, Gean Paulo Michel.

“Agora é o momento de dar resposta e atenção às vítimas. Nós vamos aguardar esse momento e, quando as coisas estiverem mais calmas, na próxima semana, nós iremos até a cidade para apurar o que aconteceu”, afirmou o professor.

O especialista explicou que é preciso diferenciar o fenômeno natural e o desastre que o fenômeno natural provocou. “O fenômeno é natural, mas uma influência antrópica (ação humana) pode acelerar”.

Ele destacou, ainda, que os municípios devem fazer um mapeamento das áreas de risco e que a ocupação territorial precisa ser feita com base na prevenção e isso deve ser incorporado nos planos diretores.

Confira a entrevista com o professor adjunto do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da Universidade Federal do Rio Grande do sul (UFRGS) e coordenador da Comissão da ABRHidro, Gean Paulo Michel:

>SC adia decisão sobre praias e libera casas noturnas para a temporada de verão; veja regras

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Renato Igor

Colunista

Renato Igor

Apresentador e comentarista na CBN Diário e NSC TV, Renato Igor faz análises e traz as notícias sobre o que acontece em Santa Catarina e o que influencia os rumos do Estado.

siga Renato Igor

Mais colunistas

    Mais colunistas